Após protestos de pais de alunos de uma escola estadual localizada região do Izidro Pedroso, em , o professor da disciplina de Ciências Biológicas, que teria discutido sobre práticas de sexo grupal com a turma, foi afastado temporariamente da sala de aula.

O caso teria ocorrida no primeiro dia de aula da na quarta-feira (21) e causou revolta entre os pais dos alunos matriculados no 9º ano. A denúncia coletiva foi formalizada na coordenação da escola.

“Não temos nada contra a orientação sexual de ninguém, mas o que não dá para aceitar é um professor explicar em sala de aula para e adolescentes como é se faz uma suruba (sic), inclusive com riqueza de detalhes sobre esse tipo de prática”, disse uma das mães ouvidas pela reportagem do Jornal Midiamax.

Além do conteúdo considerado obsceno e desnecessário, o professor também teria destratado um aluno diagnosticado com transtorno de aspecto autista. Diante da polêmica, foi formada uma comissão que, munidas de cartazes, se reuniu na escola.

O caso também deve ser denunciado na Daiji (Delegacia de Atendimento à Infância, e Idoso). O Conselho da Criança e Adolescente também deve ser acionado. Segundo relato de uma mãe, o professor teria pegado no braço do filho dela e questionado: “Você é ativo ou passivo?”

A SED (Secretaria Estadual de Educação) informou por meio da assessoria de imprensa na manhã dessa sexta-feira (23) que o professor foi afastado das atividades para as devidas averiguações. A medida foi bem recebida pelos pais dos alunos.