A Rua Almerinda Azevedo, no bairro Rouxinóis, em Campo Grande, começa a receber após quase desaparecer por ser “engolida” pela erosão causada pelas chuvas. Nesta sexta-feira (19), equipes da (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) estão no local.

Resolvido? Ainda não, pois, apesar da equipe trabalhando, não há previsão para a conclusão do reparo, considerando a complexidade. Por enquanto, os serviços realizam o nivelamento da terra e escavações.

O trecho segue interditado desde o início da semana para passagem de pedestres e veículos. Segundo a equipe, o serviço continua todos os dias e pode se paralisado se chover.

Um morador, que preferiu não se identificar, disse que a manutenção ameniza a insegurança do aumento da cratera. “Não tinha mais acesso à minha casa. Agora tem motivo para comemorar”, disse.

(Nathalia Alcântara, Midiamax)

Cratera aumentava há cinco meses

A vizinhança relatava que a cratera estava aumentando há cinco meses, apenas uma viela permitia a passagem de pedestres, que também dividiam com o matagal da rua.

As anilhas de expostas dão a dimensão da cratera, que tem cerca de cinco metros de profundidade. Em dias de chuvas, a situação fica ainda mais alarmante, a água encobre a rua, invade casas e arrasta lixo por toda a extensão da via.