Desde o mês passado, pacientes atendidos pela UBS (Unidade Básica de Saúde) do Nova relatam peregrinação por medicamentos básicos, inclusive, dipirona em gotas, um dos mais comuns e receitados nos consultórios. Com remédios em falta na pública, moradores afirmam que o jeito é “se virar nos 30” e “pôr a mão no bolso” para não ficar sem tratamento adequado. 

“Fui com meu bebê com 38 graus de febre e para minha surpresa não tinha dipirona. Perguntei pra atendente e ela disse que está em falta em todas as unidades. Eu fui até a farmácia às 4h da manhã, comprei e voltei ao posto nova Bahia pra terminar o atendimento”, comentou leitora do Jornal Midiamax

A situação enfrentada pela moradora aconteceu no dia 18 de janeiro. Nesta segunda-feira (19), ela retornou até a UBS e percebeu que a situação continua a mesma. “Hoje voltei com meu bebê ao posto nova Bahia e não tem medicamento. Meu bebê de 10 meses com febre”, afirma. 

Em uma receita médica enviada pela denunciante, é possível notar uma letra ‘F' em caneta vermelha, indicando a falta de ibuprofeno e dipirona em gotas, receitados para dor e febre no recém-nascido. “É revoltante essa falta de medicamentos”, conclui a moradora.

Em nota, a (Secretaria Municipal de Saúde) disse que, “atualmente, o município está com cerca de 80% do estoque de medicamentos abastecido, sendo que, todos os medicamentos que estão em falta estão em processo de compra”.

“Há ainda indisponibilidade de alguns itens no mercado, bem como atraso na entrega e entraves de ordem burocrática que acabam prejudicando a regularidade no fornecimento. No entanto, o município está empenhado em dar celeridade em todos estes processos para assegurar a assistência necessária e que não haja prejuízos no tratamento dos pacientes. Cabe ressaltar ainda que há mais de 40 itens (medicamentos) que são fornecidos gratuitamente através do programa Farmácia Popular, incluindo fármacos para tratamento de asma, diabetes, hipertensão, entre outros”, finalizou.