Morto precocemente aos 19 anos, Augusto Henrique Soares Pereira não escondia a paixão pelo mundo automobilístico e da velocidade. Nas redes sociais, desde 2021 o rapaz compartilhava imagens de corridas e detalhes da mecânica dos veículos utilizados nas competições automotivas. 

Augusto morreu em acidente no Autódromo Internacional de Campo Grande no último sábado (30). No dia, o espaço sediava evento da categoria e as circunstâncias da morte serão investigadas. A Polícia Civil apura ainda eventual fraude processual, após análise preliminar constatar que o local não foi preservado.

Na última publicação no Instagram, feita no dia 16 de fevereiro deste ano, o rapaz compartilhou vídeo do momento em que um carro arranca em alta velocidade durante competição de velocidade. Em outras imagens, é possível vê-lo ao lado de amigos no espaço do autódromo da Capital, mesmo lugar onde morreu. Em nenhuma das imagens o jovem aparece dirigindo.

Também nas redes sociais, amigos lamentaram a morte do rapaz e publicaram mensagens de despedida. “Já está fazendo falta meu irmão. Era pra ser mais um final de semana que nem você gostava. Rolê, nargue e andar de carro turbo. Vai deixar saudade. Fica com Deus”, comentou um.

“Satisfação ter passado seus últimos momentos perto de ti. Sem acreditar que um guri bom se foi”, postou outro amigo. “Sempre com a gente, sempre torcendo por mim. Sem acreditar”, finalizou.

O caso

Augusto Henrique Soares Pereira, de 19 anos, morreu em um acidente no Autódromo Internacional de Campo Grande, no início da noite deste sábado (30). Conforme apurado, no local aconteceu um evento automobilístico que terminou por volta das 18h.

A informação é a de que o rapaz sofreu o acidente na pista do autódromo e bateu a cabeça no chão. Ele estaria sem capacete e, segundo testemunhas, pegou a moto escondido após o evento e foi para a pista.

Augusto foi encontrado já inconsciente e foi resgatado inicialmente por amigos, que o levaram em um veículo até o encontro de uma viatura do Corpo de Bombeiros, que chegava para o atendimento. Ele morreu dentro da ambulância quando era levado para atendimento.

No momento em que a Polícia Civil chegou ao autódromo, a moto não estava mais no local do acidente, porém havia pedaços de peças na pista. Será apurado se ele participava de algum racha ou fazia manobras ilegais.