O Balneário Bosque das Águas, em , teve a Licença de Operação cancelada e o proprietário foi multado em R$ 180 mil por irregularidades ambientais. A operação Carga Máxima, realizada pelo Governo do Estado, fiscaliza empreendimentos localizados ao longo do rio Formoso.

O objetivo da Operação é verificar se os atrativos turísticos estão regulares quanto às condicionantes constantes no licenciamento ambiental, se recebem a quantidade autorizada de visitantes e se contribuem para a conservação do meio ambiente, conforme estabelecido pelo órgão ambiental quando lhes autorizou o funcionamento.

Entre as infrações encontradas no balneário fechado, estão a superlotação; bares e equipamentos de som espalhados nas margens do rio (área de preservação ambiental); pessoas dentro do rio ou nas margens com garrafas de vidro, consumindo alimentos em plataformas flutuantes (o que não é permitido), transitando sobre a vegetação nativa sem nenhum cuidado e sem orientação.

Governo vai fiscalizar lotação em atrativos no Carnaval

O diretor presidente do , André Borges, explica que a atenção dos fiscais está voltada para a lotação dos atrativos durante o feriado de Carnaval. No último feriado, fiscais encontraram balneários com lotação acima do permitido e tomou providências.

“Nossa intenção é proteger as nossas águas, proteger o Rio Formoso, proteger Bonito para garantir a sustentabilidade daqueles atrativos. A operação de fiscalização se inicia no sábado e termina na terça-feira”, afirmou.

A Operação Carga Máxima inicia-se na manhã desse sábado (10) e envolve fiscais do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), PMA (Polícia Militar Ambiental), fiscais da , Corpo de Bombeiros e Ministério Público Estadual. O promotor de Meio Ambiente de Bonito, Alexandre Estuqui Junior, vai acompanhar pessoalmente as diligências. O batalhão de choque da Polícia Militar também estará de prontidão, caso seja necessário.

Trata-se do desdobramento das ações desenvolvidas pelo GTI (Grupo de Trabalho Interinstitucional) criado em dezembro do ano passado pelo governador Eduardo Riedel para estudar medidas que ampliem a proteção sobre o Rio Formoso, tendo em vista a fragilidade daquele curso d'água e o aumento desproporcional de atividades turísticas instaladas ao longo de suas margens.

O GTI é composto por representantes da Semadesc, Secretaria de Governo, Seilog (Infraestrutura e Logística), Agesul (Agência de Empreendimentos), (Empresa de Saneamento), Imasul, Prefeitura de Bonito e da empresa Ambiente MS Pantanal, que gerencia o serviço de esgotamento sanitário naquele município.