Constrangimento, mau cheiro e gastos exorbitantes com água e produtos de limpeza fazem parte da rotina de moradores da Rua 50, no Bairro Nova Campo Grande, que convivem com o vazamento de esgoto na porta da própria casa há cerca de 3 anos.

Ao Jornal Midiamax, moradores contam que a situação ocorreu após a implantação da rede de esgoto e pavimentação na rua. Segundo eles, a situação ocorre com chuva ou sem. Quando chove fica pior por conta do esgoto que até invade as residências.

O problema crônico, inclusive, já virou alvo da ação da Justiça – com causa ganha. Moradora do local desde 2007, a aposentada Nadja Zubko, de 64 anos, já ganhou uma indenização de R$ 5 mil e move outra ação contra a Águas Guariroba, pois o problema ainda não teve solução.

“Não é sobre o dinheiro, é pela nossa tranquilidade. Aqui muitas vezes fica uma bacia de m*rda”, diz a moradora, revoltada. Esperando o resultado da segunda ação, Nadja garante: “Entro [na Justiça] uma terceira vez se precisar”.

A moradora conta que já teve até micose nos dedos dos pés por tanto transitar e lidar com os dejetos na calçada de casa.

esgoto nova Campo Grande
Esgoto vaza no portão das residências (Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)

Falta de provas?

Quem também sofre com o problema e procurou a Justiça em busca de solução é a auxiliar de limpeza Marly dos Santos Ribeiro, de 42 anos. Moradora há oito anos na Rua 50, ela reclama que alegaram na Justiça que não havia provas da situação.

“Como não tem provas? Meu celular chega a feder de tanto vídeo e foto de m*rda”, conta Marly. Outra moradora que não suporta mais a situação é a encarregada financeira Lucinéia Joelma, de 52 anos.

“É um absurdo esse problema, porque a gente precisa gastar a nossa água para lavar a m*rda que volta da rede de esgoto. Isso é uma falta de respeito; não pode continuar desse jeito”, diz a mulher, que mora há 8 anos no bairro.

Além do mau cheiro e constrangimento, moradores também contam que a conta de água aumentou muito, pois eles precisam lavar as calçadas quase todo dia. Fora os custos com materiais de limpeza.

esgoto nova Campo Grande
Esgoto vazando com dejetos (Fala Povo, Jornal Midiamax)

O que diz a Águas Guariroba?

Em nota, a Águas Guariroba informou que encaminhou uma equipe ao local e que a causa do extravasamento de água do esgoto é a obstrução da rede. “A concessionária esclarece que extravasamentos como os mostrados na reportagem são provocados por duas razões: descarte incorreto de lixo na rede de esgoto e ligações de águas pluviais feitas de forma irregular na rede de esgoto, sendo este o motivo para a recorrência no período de chuvas”, traz o texto.

A concessionária informa que a água das chuvas deve ser interligada diretamente ao sistema de drenagem das ruas, que por sua vez desemboca nos rios e córregos. “É proibido fazer a ligação dessas águas na rede de esgoto. Quando a ligação da água da chuva é feita à rede de esgoto, ocorrem os extravasamentos”, ressalta a empresa.

“É importante que o usuário siga a legislação, que proíbe o despejo incorreto de água pluvial na rede de esgoto, evitando a sobrecarga na rede coletora e, consequentemente, evitando que a estrutura de tratamento de esgoto seja comprometida, provocando transtornos à população”, acrescenta.

A Águas Guariroba também informa os produtos que não podem ser despejados na rede de esgoto:

  • Absorvente
  • Papel higiênico
  • Ccotonetes
  • Plástico
  • Todo tipo de resíduo sólido

“É proibido porque entope as tubulações e também causa extravasamentos. Devido ao descarte irregular, são retiradas cerca de 75 toneladas de resíduos da rede de esgoto por mês. No entanto, mesmo com o trabalho de desobstrução e limpeza constante, 24h por dia, o descarte incorreto é recorrente, gerando entupimento da rede em diferentes pontos da cidade”, finaliza a nota.