A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas no estado de Mato Grosso do Sul estimada para o mês de março de 2024 deve sofrer um decréscimo de 12,3% em relação ao período no ano anterior. Os dados foram apresentados nesta quinta-feira (11) pelo (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) por meio do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola – LSPA 2024.

Segundo o relatório, o estado deve totalizar a produção de 24,9 milhões de toneladas em março, contra 28,4 milhões de toneladas produzidas em 2023. O número é também menor do que havia sido previsto pelo Levantamento no mês de fevereiro (26,7 milhões de toneladas).

No ranking nacional, Mato Grosso do Sul é o 5º maior produtor nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, sendo o maior o estado de Mato Grosso, com uma produção anual de 84,0 milhões de toneladas. No Brasil, a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas deve ser de 298,3 milhões de toneladas em 2024, representando uma produção 5,4% menor do que a obtida no ano passado (315,4 milhões de toneladas).

Em março, a área a ser colhida no estado foi de 6,3 milhões de hectares. O arroz, o e a soja, os três principais produtos, somados, representam 97,6% da estimativa da produção e respondem por 95,9% da área a ser colhida. Frente a 2023, houve acréscimos de 9,0% na área a ser colhida do algodão herbáceo (em caroço), de 33,7% na do arroz em casca, de 5,4% na do feijão e de 3,6% na da soja, ocorrendo declínios de 11,7% na área do milho (reduções de 11,6% no milho 1a safra e de 14,5% no milho 2a safra), de 22,1% na do trigo e de 7,0% na do sorgo.

Em relação à produção, houve acréscimos de 15,6% para o algodão herbáceo (em caroço) e de 40,6% para o arroz, e decréscimos de 9,8% para a soja, de 4,7% para o feijão, de 28,6% para o sorgo, de 14,6% para o milho e 38,0% para o trigo. 

Mato Grosso segue na liderança da produção nacional de grãos 

Entre as unidades da federação, Mato Grosso continua sendo o maior produtor nacional de grãos, respondendo por 28,2% do total produzido no país. O estado é seguido pelo Paraná (13,7%), Rio Grande do Sul (13,3%), Goiás (10,2%), Mato Grosso do Sul (8,4%) e Minas Gerais (5,7%). Somados, esses seis estados representam 79,5% da produção brasileira de grãos.

Regionalmente, o Centro-Oeste (47,0%) lidera esse ranking, enquanto as demais regiões têm as seguintes participações: Sul (29,2%), Sudeste (9,4%), (8,7%) e Norte (5,7%). 

Todos os dados são do LSPA, que fornece estimativas de área plantada, área colhida, quantidade produzida e rendimento médio de produtos selecionados com base em critérios de importância econômica e social para o país.