O conselheiro tutelar Daniel Castro Lima foi desposto do cargo nesta quinta-feira (18), em publicação em edição extra do Diogrande (Diário Oficial de ). Ele é suspeito de agredir uma criança de 9 anos em uma UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) da Capital na época que atuava como técnico de .

O caso teria acontecido em 30 de agosto de 2023, antes da eleição para conselheiros tutelares. A mãe da criança procurou a alegando que o filho foi agredido por Daniel. Na publicação em diário oficial consta que ele foi substituído do cargo por determinação judicial.

Alice Arakaki Yamazaki assume seu lugar no Conselho Tutelar da região Anhanduizinho – Bandeira. Na época do caso, o alegou desconhecer a denúncia e que ela seria um ato intencional para prejudicar sua campanha ao Conselho Tutelar.

Suposta agressão

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela mãe da criança, ela levou o filho até a unidade de saúde para a retirada de pontos na cabeça dias depois de uma cirurgia. O técnico de enfermagem – que também é candidato a conselheiro tutelar – foi quem atendeu o menino. A mãe relata que ele disse que o procedimento iria “doer muito”.

O profissional ainda falou que iria sair sangue e que precisaria de cinco pessoas para segurar a criança. Em seguida, o técnico saiu da sala e voltou falando ao celular e a criança estava chorando. A mãe conta que neste momento o profissional deu um tapa no ombro da criança.

O técnico saiu e voltou para a sala, e dessa vez deu um tapa na cabeça da criança dizendo: “Fica quieto, estou no telefone”. Assim, a mãe já não permitiu mais que o técnico de enfermagem atendesse o filho.