recebeu neste sábado (10), 69.570 doses da vacina contra a dengue para dar início a campanha de imunização contra a doença. Com a chegada das vacinas, desde às 13 horas, representantes das secretarias municipais de saúde dos 76 municípios beneficiados começaram a retirada das doses.

Os imunizantes, fornecidos pelo Ministério da Saúde, chegaram à sede da Coordenadoria de Imunização da SES (Secretaria de Estado de Saúde) no da manhã deste sábado em dois voos comerciais, sendo a primeira remessa com 42.740 doses e a segunda com 26.830 doses.

Para os municípios que não retiram as vacinas neste sábado, será necessário entrar em contato com a gerência de Imunização da SES e agendar a retirada do imunizante durante o período do feriado de Carnaval. Do dia 11 de fevereiro até o dia 13 de fevereiro a retirada será das 8h às 11h e das 13h às 16h, mediante agendamento. No dia 14 de fevereiro, a retirada ocorre somente no período da tarde, das 14h às 16h.

Segundo o gerente estadual de Imunização, Frederico Jorge Pontes de Moraes, o Ministério da Saúde acrescentou doses para atendimento integral à faixa etária estabelecida que é de crianças e adolescentes de 10 e 11 anos, na qual se concentra o maior número de hospitalização por dengue e também para atender mais municípios.

Gerente de Doenças Endêmicas da SES, Jéssica Klener, ressalta que tem 238 casos prováveis de dengue.

“As ações no Estado abrangem também o controle de vetores, dando todo o suporte. Neste momento, também, estamos trabalhando junto aos municípios e à população com orientações de prevenção, pois a maioria dos focos estão nas casas”, observou.

Distribuição das vacinas

Doses Qdenga (Divulgação, SES)

A princípio, a SES havia anunciado que Mato Grosso do Sul receberia uma primeira remessa com 41.783 doses de vacinas, distribuídas entre os 34 municípios que compõe a macrorregião de Campo Grande. Com a nova remessa, o número de cidades também foi ampliado.

As 26.830 doses da segunda remessa irão atender às duas macrorregiões de saúde de e Três Lagoas, com exceção do município de que já foi contemplado com outra estratégia.

Confira os municípios:

Caarapó (936 doses), Deodápolis (369), Douradina (172), Fátima do Sul (495), Glória de Dourados (259), Itaporã (793), Jateí (108), Laguna Carapã (231), Rio Brilhante (1.198), Vicentina (153), Eldorado (324), Iguatemi (410), Itaquiraí (575), Japorã (396), Juti (246), Mundo Novo (546), Naviraí (1.466), (197), (298), Batayporã (273), Ivinhema (730), Nova Andradina (1.355), Novo Horizonte do Sul (129), Taquarussu (102), Amambai (1.355), Antônio João (313), Aral Moreira (395), Coronel Sapucaia (523), Paranhos (602), Ponta Porã (2.859), Sete Quedas (320) e Tacuru (379).

Macrorregião de Três Lagoas:

Aparecida do Taboado (707), (497), Inocência (209), Paranaíba (1.025), Água Clara (572), Bataguassu (675), Brasilândia (306), Santa Rita do Pardo (206), Selvíria (225) e Três Lagoas (3.896).

Macrorregião de Campo Grande irá receber 42.720, considerando que houve um acréscimo de doses pelo Ministério da Saúde em relação ao divulgado nesta sexta-feira (9).

A distribuição será da seguinte forma:

Campo Grande (24.639 doses), Costa Rica (771), São Gabriel do Oeste (834), Maracaju (1.223), Jardim (731), Coxim (929), Guia Lopes da Laguna (297), Sidrolândia (1.435), Pedro Gomes (182), Chapadão do Sul (945), Rochedo (156), Anastácio (739), Camapuã (338), (715), Figueirão (108), Nova Alvorada do Sul (764), Aquidauana (1.460), Jaraguari (209), Miranda (883), Dois Irmãos do Buriti (338), Sonora (434), Ribas do Rio Pardo (746) Alcinópolis (115), Caracol (149), Corguinho (161), Bela Vista (683), Rio Verde de Mato Grosso (549), Paraíso das Águas (184), Terenos (506), Rio Negro (129), Nioaque (390), Porto Murtinho (463), Bodoquena (269) e Bandeirantes (221).

A Macrorregião de Corumbá, que compreende os municípios de Corumbá e Ladário, será contemplada em uma segunda estratégia do Ministério da Saúde, após o envio de novas remessas de vacinas.

A distribuição das doses foi determinada com base em três critérios principais: o ranqueamento das regiões de saúde e municípios, o quantitativo necessário de doses para a população-alvo conforme a disponibilidade (prevista pelo fabricante) e o cálculo do total de doses a serem entregues em uma única remessa ao município.

Público-Alvo

Vacinação contra a dengue
Vacinação contra a dengue (Divulgação)

A campanha de vacinação será iniciada em crianças e adolescentes de 10 e 11 anos, faixa etária que concentra o maior número de hospitalização por dengue, dentro do quadro de crianças e adolescentes de 6 a 16 anos. O esquema vacinal será composto por duas doses com intervalo de três meses entre elas.

A recomendação é que a vacinação seja iniciada pela administração de D1. As demais doses para D2 serão enviadas posteriormente considerando o intervalo recomendado de 3 meses entre as doses.

O ciclo completo de imunização é atingido com as duas doses e a Qdenga apresentou, nos ensaios clínicos, ter eficácia geral de 80,2% contra a dengue causada por qualquer sorotipo após 12 meses da segunda dose. A vacina também reduziu as hospitalizações em 90%. Segundo o laboratório Takeda, a vacina garante imunização contra a dengue por até cinco anos.

A vacinação em massa é desenvolvida pela Sems (Secretaria Municipal de Saúde), em parceria com o laboratório japonês Takeda, que desenvolveu a vacina Qdenga. O imunizante já está disponível na rede privada de saúde e tem imunidade completa em duas doses, sendo que a segunda deve ser aplicada após três meses da primeira.