Pioneira no país, a campanha de vacinação em massa contra a dengue registrou uma alta demanda durante o primeiro dia da vacinação iniciada na cidade , a 229 km de Campo Grande. Dados da prefeitura do município apontam que 537 pessoas receberam a 1ª dose da vacina neste primeiro dia.

A distribuição das 90 mil doses fornecidas pelo laboratório Takeda teve início por volta das 7h de quarta-feira (3), quando as vacinas chegaram às unidades de saúde. A primeira dose foi administrada imediatamente, com a segunda programada para três meses depois.

A UBS da Vila Rosa foi a que registrou o maior número de vacinados, com 125 pessoas imunizadas até o final do dia.

(Foto: Rogério Vidmantas, Prefeitura de Dourados)

Coordenadora da unidade de saúde em Dourados, Rosália Ferreira dos Santos, destaca que a procura pela vacina contra a dengue foi surpreendente neste primeiro dia.

“A vacina chegou por volta das 8h30 da manhã e já tínhamos mais de 20 pessoas na espera, inclusive algumas acima de 60 anos, que, infelizmente, estão fora da faixa etária que é o foco desta ação”.

Vale destacar que as doses disponíveis são exclusivamente para cidadãos de Dourados.

“Quem já mora na cidade há algum tempo e ainda não tem seu cadastro atualizado no sistema de saúde, precisa apresentar comprovante de residência, além de apresentar o cartão SUS”, completa.

Pioneira no país

Vacina Qdenga
Vacina Qdenga foi aprovada pela em meados do ano passado (Foto: Divulgação/Takeda)

Em ação inédita no país, a cidade de Dourados tem a expectativa de imunizar aproximadamente 150 mil pessoas entre 4 e 59 anos.

O ciclo completo de imunização é atingido com duas doses. A Qdenga apresentou, nos ensaios clínicos, eficácia geral de 80,2% contra a dengue causada por qualquer sorotipo após 12 meses da segunda dose. A vacina também reduziu as hospitalizações em 90%. Segundo o laboratório Takeda, a vacina garante imunização contra a dengue por até cinco anos.

A vacinação em massa é desenvolvida pela Sems, em parceria com o laboratório japonês Takeda, que desenvolveu a vacina Qdenga. O imunizante já está disponível na rede privada de saúde e tem imunidade completa em duas doses, sendo que a segunda deve ser aplicada após três meses da primeira.

Para receber a primeira dose da vacina, basta ir à unidade de saúde mais próxima, com documentos como CPF e carteirinha do SUS.

Recorde de óbitos por dengue em 2023

Dengue
Em 2023, foram confirmados 41.046 casos (Divulgação)

Em 2023, a dengue figurou entre as principais causas de óbito da população sul-mato-grossense. Com 42 mortes confirmadas, o Estado encerrou o ano com o 2º maior pico de óbitos da série histórica, criada em 2014, ficando atrás somente de 2020, quando 43 pessoas morreram pela doença.

Dados do Boletim Epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), nesta quarta-feira (3), apontam que ao longo de todo o ano de 2023, registrou 41.046 casos confirmados da doença, o dobro dos casos registrados no ano anterior, que somaram 21.328 infectados.

Entre janeiro e dezembro do último ano, o Estado registrou 42 óbitos por dengue. Já o número de casos prováveis foi de 46.736, maior patamar desde 2020, quando foram registrados 65.675.