Quem chega pelo Aeroporto Internacional de ou pela BR-262, na saída para Aquidauana, se depara com um dos cartões postais da cidade abandonado e como potencial criadouro do .

Uma das três esculturas de Tuiuiús, que ficam na orla do aeródromo, caiu devido às fortes chuvas e ventos em 3 dezembro do ano passado. Mais de dois meses depois do incidente, a ave símbolo do Pantanal continua no solo e sem reparos. 

O que se vê no local do Monumento Pantanal Sul é o pássaro enrolado em uma lona azul. As sacolas plásticas pretas sofrem com a ação do tempo e estão em deterioração, deixando uma asa exposta. 

Criadouro de Aedes aegypti

Água parada no local das esculturas. (Ana Laura Menegat, Jornal Midiamax)

As outras duas esculturas que continuam em pé estão com rachaduras aparentes, especialmente na região das pernas, que são uma das bases de sustentação das obras. A área está isolada com uma fita amarela. 

Além disso, essas esculturas ficam em um espaço em que há espelhos d'água. Com a chuva, foram criadas duas poças grandes de água que podem virar criadouro do mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Campo Grande está em alerta para a dengue. A Prefeitura Municipal divulgou, na última sexta-feira (16), que a Capital apresentava “quadro estável”, mas que era preciso atuar de maneira preventiva para evitar a piora da situação. 

Obra foi coberta por uma lona. (Ana Laura Menegat, Jornal Midiamax)

Painel de Monitoramento das Arboviroses do Ministério da Saúde, com dados atualizados até a última quarta-feira (21), mostram que a Capital tem 215 casos confirmados de dengue, neste ano.

O Midiamax solicitou uma nota da Prefeitura de Campo Grande e da Aena (empresa concessionária responsável pelo Aeroporto Internacional de Campo Grande) sobre o assunto.

Em resposta, “a Sectur (Secretaria Municipal de e Turismo) esclarece que não responde pelas obras citadas”, mas a Prefeitura não deu retorno sobre a água parada no local.

A assessoria de comunicação da Aena confirmou o recebimento da demanda, mas não retornou com um posicionamento até a publicação da reportagem. O espaço continua aberto para manifestações para as duas entidades.

Última restauração foi há seis anos

O artista plástico Cleir Ávila foi o responsável pela construção das esculturas. O monumento com três Tuiuiús, ave símbolo do Pantanal, levou cerca de quatro meses para ser construído em 1999. A inauguração foi feita no início do anos 2000. 

O Midiamax conversou com o artista plástico quando uma das aves caiu devido às fortes chuvas. Na época, ele informou que a última manutenção teria sido feita há seis anos, em 2017, com o patrocínio de um banco. Contudo, o ideal seria que a obra recebesse manutenções a cada três anos.

Outras aves apresentam danos na estrutura. (Ana Laura Menegat, Jornal Midiamax)

O Monumento Pantanal Sul reúne três esculturas de tuiuiús na orla do aeródromo. As aves fazem referência às aeronaves que chegam e partem do Aeroporto Internacional de Campo Grande, com um em posição de partida, outro que representa a decolagem, enquanto o terceiro, que caiu, faz referência ao abastecimento. 

As aves têm seis metros de altura e 12 metros de envergadura. As obras foram feitas a partir da modelagem do aço, concreto expandido e depois modelagem da argamassa.