Na espera por atendimento médico, pacientes dormem e acordam em macas distribuídas pelos corredores do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul). O crítico é resultado da lotação nos quartos e demora no atendimento, segundo relatam pacientes nesta terça-feira (28).

Uma jovem, que preferiu não se identificar, acompanha uma paciente desde domingo (26) no hospital e viu de perto a situação.

“Muitos pacientes no corredor com sondas. Um cheiro horrível de urina. Além disso, os técnicos, sem respeito algum, passam gritando, rindo alto e arrastando mesas e cadeiras”, relatou a jovem.

Com inchaço no rosto, a paciente aguarda por exames para possível realização de uma biópsia, mas não sabe quando sairá do hospital.

“Ela estava no corredor do PAM (Pronto Atendimento Médico) e foi transferida para o 7º andar, mas continua no corredor. Tem gente no chão, ontem à noite [segunda-feira] não tinha mais espaço e continuavam recebendo pacientes”.

Por fim, a jovem alega ter questionado o hospital sobre a situação e foi informada que precisaria esperar até que o profissional responsável pudesse avaliar sua avó.

Hospital Regional alega que opera acima da capacidade

Em nota, o de afirmou que opera diariamente acima da capacidade, porém, garante uma resposta ágil aos pacientes por meio da ativação do PCP (Plano de Capacidade Plena).

“Nosso PCP envolve medidas como a adaptação de leitos nos corredores das enfermarias, buscando aliviar a demanda no PAM (Pronto Atendimento Médico)”, diz a nota.

Apesar da alta demanda, a instituição reiterou seu compromisso em fornecer atendimento adequado a todos os pacientes, garantindo assistência médica e de suporte.

Saiba Mais