é um estado violento para os jovens. Entre os anos de 2021 e 2020 cresceu 22% a taxa de homicídios entre jovens em Mato Grosso do Sul, sendo a 4° maior variação do país entre os estados. Nesse mesmo período, o Brasil teve variação média negativa de 5,4%.

Os dados são do Atlas da Violência, lançado pelo Ipea (Intituto de Econômica Aplicada) nesta terça-feira (05). Em 2021, a taxa de homicídio em jovens de Mato Grosso do Sul foi de 32,9% a cada 100 mil jovens.

Em números absolutos, foram 208 jovens mortos em 2021, crescimento de 17% em relação a 2020 e o maior número desde 2018. Na classificação por gênero, foram 193 homens jovens vitimas de homicídios em 2021, aumento de 27% em relação a 2020.

Esse número de homens jovens representa 60% dos homicídios registrados em Mato grosso do Sul naquele ano. Considerando a violência contra e adolescentes em 2021, 16,4% atinge adolescentes entre 15 e 19 anos, 0,9% crianças de 5 a 14 anos e 1,4% crianças de 0 a 4 anos.

O estudo identifica que “ainda que tenha sido reduzida nos últimos anos,a vitimização juvenil constitui um problema de primeira grandeza. A cada vinte minutos um jovem é assassinado no Brasil. Para além da tragédia humana, há que se considerar o impacto econômico dessa vitimização de jovens”.

Violência dentro das escolas

O Atlas da Violência analisou também dados de violência nas escolas brasileiras. O Ipea considera que tensões sociais e psicológicas são agravantes no desempenho de alunos, muito atingidos pela pobreza e privações. Tais cenários influenciam diretamente no desempenho escolar e aumento da violência.

Dados de 2019 mostram que 42% dos alunos do nono ano do ensino fundamental de Campo Grande, disseram sofrer bullying dentro da escola nos últimos 90 dias. Destes, 12,8% disseram que faltaram à escola por não se sentir seguro.

“Em sociedades desiguais como a brasileira, a escola não apenas reproduz desigualdades como as reflete nas suas dinâmicas internas. Violências decorrentes de vulnerabilidades sociais não podem ser resolvidas apenas com processos de disciplinarização e controle policial das escolas, mas dependem de objetivos políticos mais amplos, sustentados ao longo do tempo e capazes de distinguir as formas da violência, as instâncias e as estratégias adequadas para lidar com cada uma delas”, destaca o estudo.

Taxa de homicídios em MS cresceu em 2021

A taxa de homicídios em Mato Grosso do Sul chegou a 19,4% em 2021, acima do resultado dos dois anos anteriores (2019 e 2020), quando a taxa ficou em 17%. Os dados são do Atlas da Violência.

Houve aumento de 11% de 2020 para 2021 na taxa de homicídios, acima da média nacional de redução de 4,8%. Em dez anos, houve redução de 28,6% na taxa de homicídios.

Em números absolutos, são 551 homicídios registrados em 2021, 12% a mais que em 2020. Mas queda de 18% em dez anos. Os dados aina mostram taxa de 2,7% de homicídios ocultos e taxa de homicídios projetados 21,9%, crescimento de 5% em relação a 2020.