Depois de pelo menos 19 Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil) de entrarem na mira do Ministério Público, que investiga irregularidades na estrutura e manutenção das unidades, a (Secretaria Municipal de Educação) informou que já tem cronograma de visitas técnicas aos locais indicados para verificar as denúncias. A meta é que todos os problemas estruturais estejam resolvidos até o início do próximo ano letivo.

“No processo de investigação nós fizemos um itinerário para visitar e para que os técnicos também possam verificar quais são as debilidades. Dentro disso, nossa ideia é começar o ano com praticamente 100% desses problemas sanados. Só não estarão resolvidos completamente porque algumas coisas dependem de estruturas maiores”, explicou o secretário municipal de educação, Lucas Henrique Bitencourt.

De acordo com ele, a Semed tem 13 licitações de reformas em andamento. Ao todo, serão revitalizadas nove escolas e quatro Emeis. Das escolas infantis que passarão por melhorias, quatro fazem parte da lista de investigação do Ministério Público. “Estamos trabalhando para garantir qualidade e segurança às crianças atendidas”, completa o secretário.

Denúncia e investigação

Após denúncia, o Ministério Público Estadual abriu investigação para apurar possíveis irregularidades na estrutura física de pelo menos 19 escolas de Campo Grande. Os inquéritos foram abertos para “averiguar a ocorrência ou não de irregularidades na estrutura física e precariedades nas instalações das Escolas da Rede Municipal de Educação”.

Estão na lista de investigação as seguintes escolas: Escola Municipal Barão do Rio Branco; Municipal Profª Leire Pimental de Carvalho Corrêa; Profª Maria Regina de Vasconcelos Galvão; Escola Municipal Profª Oliva Enciso; e Escola Municipal Ishida Nascimento Nogueira.

Também são investigadas: Escola Municipal Dr. Tertuliano Meirelles; EMEI Clebe Brazil Ferreira; EMEI Aero Rancho; EMEI Michele Regina Locatelli; Escola Municipal Profª Arlene Marques Almeida; Escola Municipal Profª Lenita de Sena Nachif; Escola Municipal Irene Szukala, Escola Municipal Rafaela Abrão; EMEI Constança Correia de Almeida; Escola Municipal Profª Flora Guimarães Rosa; Escola Municipal Profª Eulália Neto Lessa; Escola Municipal Profº Fauze Scaff Gattass Filho; e Escola Municipal João de Paula Ribeiro.

Em imagens feitas pelo vereador André Luís durante visitas técnicas, foram constatados problemas de infiltração, rachaduras, problemas em telhados e até mesmo funcionários usando um único banheiro em uma das unidades, num uso forçado de ‘banheiro unissex'.