A SED (Secretaria de Estado de Educação) de Mato Grosso do Sul publicou resolução nº 743 que oficializa a dispensa de diretora do Centro de Infantil José Eduardo Martins, em . Ela foi denunciada por irregularidades na instituição de ensino.

Documento alega que tem objetivo de “dispensar, a pedido, a servidora, ocupante do cargo de Professor, do Quadro Permanente de Pessoal do Estado de , da função gratificada de Diretora, símbolo DAE-E, do Centro de Educação Infantil José Eduardo Martins Jallad – ZEDU, localizado no município de Campo Grande/MS, a contar de 24 de março de 2023 (Processo n. 29/027760/2023 – C.I. N. 115/ COGES/ SED/2023).

Documento foi assinado pelo secretário adjunto de Estado de Educação, Edio Antonio Resende de Castro.

Denúncias de funcionários

A diretora do Centro de Educação Infantil José Eduardo Martins Jallad (CEI-Zedu) foi afastada do cargo na última sexta-feira (24), um dia após denúncias de funcionários sobre irregularidades praticadas pela servidora.

De acordo com a SED, o afastamento das funções é parte do protocolo de abertura do Processo Administrativo Disciplinar, voltado para a averiguação das denúncias recebidas. A diretora seguirá afastada até a conclusão das investigações.

Denúncias vão de assédio a água turva servida

As denúncias envolvem acusações de assédio moral contra os funcionários, irregularidades na merenda escolar servida e até venda de patrimônio público. Recentemente, o Jornal Midiamax recebeu denúncia de que estavam usando água turva para beber e cozinhar na unidade.

O CEI recebe a partir dos seis meses de idade e, na época, a denúncia dizia que alunos relataram dor de barriga, mas não foram dispensados da aula, mesmo com a água turva e possivelmente imprópria para o consumo.

Na escola também não haveria filtro para a água e a diretora tem a fama de “perseguidora”.

Diretora se defende das acusações

A própria diretora enviou nota em grupo de pais se defendendo das acusações. “Posso garantir que são denúncias infundadas, oriundas de pessoas com interesse particular de me prejudicar”, disse.

Ela ainda justifica já ter prestado contas sobre o assunto. “Todas essas acusações já foram respondidas pela SED, com registros em ATA, inclusive sobre a prestação de contas da venda do parquinho, aprovada, e da questão da merenda, quando houve substituição de alimento e um dia, por atraso de entrega de mercadoria pelo fornecedor. Está tudo regularizado. Estou tomando todas as medidas para que essa situação seja resolvida o mais rápido possível”.