Os portões dos locais de prova do (Exame Nacional do Ensino Médio) já estão abertos para aplicação do primeiro dia da avaliação, neste domingo (5). Estudantes chegaram com antecedência e, por enquanto, o trânsito é tranquilo nas intermediações da Uniderp, em .

A unidade deve receber cerca de cinco mil candidatos ao exame, que avalia nesta etapa questões em linguagens, códigos e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, língua estrangeira e redação. Na Avenida Ceará, há uma extensa fila de veículos que buscam desembarcar os alunos no local da prova. Apesar do fluxo lento, não há interdições ou congestionamento.

Diretora de uma escola particular, Michelle Caetano juntou uma equipe para prestar incentivo a quem enfrenta a prova, que é um desafio para aqueles que desejam ingressar no ensino médio. O grupo distribui de graça caneta, água e até chocolate. “É um incentivo que damos para os candidatos, independe de ser alunos ou não”, disse.

Equipes de universidades privadas também acompanham o movimento divulgando os cursos disponíveis, passando orientações sobre a vida acadêmica.

Laurinda
Laurinda faz renda extra vendendo água no local (Henrique Arakaki, Midiamax)

Laurinda Bento, 54 anos, é de reforço escolar. Aproveitou o dia para fazer renda extra com venda de água. Pela segunda vez no Enem, ela diz que veio equipada com 80 garrafas de água mineral vendidas a R$ 3. “Vim ano passado e teve sucesso. Também vendi em concursos”.

Estudantes adiantados

Por portões fecham às 12h, mas teve chegando com antecedência para evitar ser um “atrasado do Enem”. João Pedro Pedra, de 16 anos, está terminando o ensino médio e almeja o curso de cinema. Ele veio preparado com lanche, água e canetas.

Arthur Rezende Lima tem 17 anos e também está na fase final do ensino médio. Ele diz que se dedica aos vestibulares desde o início do ano, com cursinhos e estudo frequente. “Me preparei bastante. Não [estou] nervoso, mas ansioso”.

Trânsito na avenida (Henrique Arakaki, Midiamax)