Os dias que antecederam a primavera foram difíceis em Mato Grosso do Sul por causa do que se manteve na casa dos 40°C, temperatura que se mostrou acima da média em diferentes municípios. Neste sábado (23), a nova estação chegou oficialmente às 2h50 e a previsão para o período é de chuvas acima da média e dias de ‘calorão', que devem permanecer pelos próximos meses no Estado. 

De acordo com prognóstico do (Instituto Nacional de Meteorologia), as chuvas retornam gradativamente, de forma irregular e com valores acima da média histórica do Estado. A condição deve favorecer a agricultura em razão do aumento de armazenamento de água no solo.

Conforme o Cemtec (Centro de Monitoramento do Clima e do Tempo), historicamente a primavera em Mato Grosso do Sul é a estação com maior frequência de tempestades severas. “São tempestades geralmente de rápida duração, capazes de gerar chuvas intensas, fortes rajadas de vento e até mesmo a queda de granizo”, pontuou.

Dados do Centro apontam que, no trimestre outubro, novembro e dezembro, as chuvas variam entre 400 e 500 milímetros na maior parte do Estado, com exceção das regiões sul, central e norte/nordeste, onde os índices podem ficar entre 500 a 700 mm e área noroeste, com variação de 300 a 400 milímetros. 

Trimestre bem mais quente que o normal

Para quem achou que iria se livrar do ‘calorão' instalado em Mato Grosso do Sul, a expectativa de institutos meteorológicos indicam o contrário. Segundo o Cemtec, o próximo trimestre deve ficar mais quente que o normal no Estado. 

Na avaliação do Cemtec, levando em consideração dados coletados nos últimos meses, que mostram chuvas acima da média na região sul e abaixo da média na região norte, além das temperaturas máximas próximas aos 40-43°C, o trimestre deve ser quente e chuvoso.

“A precipitação [de chuvas] deve se manter dentro ou ligeiramente acima da média climatológica em grande parte do estado para o trimestre. Em relação à previsão climática da temperatura do ar, o modelo indica que em Mato Grosso do Sul, as temperaturas tendem a ficar acima da média histórica”, finaliza. 

calor-umidade-HA-seco
Imagem ilustrativa. (Henrique Arakaki, Midiamax)

Onda de Calor

Boa parte do Brasil enfrenta onda de calor e todo o território de Mato Grosso do Sul está incluso em alerta meteorológico para a elevação das temperaturas máximas em até 5°C. Em municípios como e e Água Clara, os termômetros chegaram a atingir 40°C.

O alerta de cor vermelha tem grau de grande perigo, o pior entre os alertas emitidos pelo Inmet. A recomendação é para que moradores tomem bastante água, evitem exposição ao sol, especialmente em horários mais quentes do dia. Em caso de emergência é preciso acionar o (telefone 193) ou a Defesa Civil (telefone 199). 

El Niño influencia no aumento das temperaturas

O El Niño é considerado um fenômeno de aquecimento das águas superficiais do Pacífico, por isso, possui uma condição menos previsível para o Estado. Entretanto, a tendência geral é de aumento das chuvas e padrões de temperaturas mais elevados.

De acordo com o Cemtec, o calor extremo se deve à atuação de um bloqueio atmosférico, aliado à atuação do El Niño.

Ainda conforme a previsão, a região do Pantanal é onde ocorrerão as maiores temperaturas durante a onda de calor. Segundo autoridades, em relação à saúde, é necessária muita hidratação e cuidados com a exposição ao sol.