Lago do Amor, ponte da José Antônio, no Chácaras do Poderes e mais inúmeras ruas destruídas pelas enxurradas das que marcaram – e surpreenderam – no verão, em .

Após meses de chuvarada, a prefeita Adriane Lopes (Patriota) diz que a prefeitura vai lançar um plano de recuperação na próxima segunda-feira (3). “Frentes de trabalho nas sete regiões e dois distritos e vamos avançando”, disse ela, em agenda na tarde desta quinta-feira (30).

“Nós temos problemas e não tem como evitar problemas com tempo chuvoso como esse […] esse ano a mudança climática que acontece no país, afetou Campo Grande de uma forma diferenciada. Tivemos no mês de fevereiro mais de 250 milímetros de chuva durante o mês e a cidade não estava preparada para isso. Janeiro choveu mais de 300 milímetros e a cidade não estava preparada para este evento”, explicou Adriane.

Com a mudança de estação – de verão para outono – a chuva deu uma trégua. Conforme a prefeita, ela esteve reunida com os conselhos regionais e presidente de bairros para levantar as diferentes demandas do município.

Interdição no Lago do Amor

Pioneiro nos estragos provocado pela chuva em 2023, o Lago do Amor completa três meses interditado no próximo dia 4 de abril, com a plataforma desmoronada e uma erosão ‘invisível’. De acordo com a (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), o projeto de reconstrução está pronto e estimado em R$ 3,842 milhões.

O mesmo acontece na ponte sobre o Córrego Prosa, na Rua José Antônio cruzamento com a Avenida Fernando Corrêa da Costa, está interditada desde o dia 31 de janeiro.

A prefeitura já publicou os contratos firmados para realização de obras nos dois locais, que irão custar mais de R$ 4,5 milhões aos cofres públicos.