A Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) instalou placas de sinalização proibindo a conversão e retorno da avenida Afonso Pena para acesso a Rua Rui Barbosa, no Centro de Campo Grande. A nova determinação passou a valer na tarde desta terça-feira (26).

Segundo o gerente de Fiscalização da Agetran, Carlos Guarini, a equipe municipal realizou a instalação da nova sinalização nesta tarde e já está em validade. “O objetivo é dar mais fluidez ao trânsito”.

Questionado se a medida tem ligação com o corredor de ônibus ou redução de acidentes, Guarini diz que a determinação visa evitar a lentidão no trânsito. “Ali não tem acidente, mas quando vão da Afonso Pena para a Rui Barbosa, enquanto o sinal estava fechado, gerava trânsito lento”.

afonso pena
Novas placas instaladas (Henrique Arakaki, Midiamax)

Agora, os condutores que estão na avenida e querem acessar a Rui Barbosa devem ir até a Rua Pedro Celestino. O acesso para quem já está na Rui Barbosa e quer ingressar na Afonso Pena Continua válido.

Vale lembrar que a Rui Barbosa possui a faixa exclusiva de ônibus, portanto, quem conduz da rua e quer acessar o sentido bairro/Centro, deve acessar a faixa com a seta ligada.

O que os condutores acham

Ao Jornal Midiamax, alguns condutores revelaram a opinião sobre a mudança no trânsito de um dos principais cruzamentos da região central.

Fernanda Télis, 41 anos, marketing, veio do Rio de Janeiro para morar em Campo Grande há dois anos. Ela diz que utiliza o acesso com frequência. “Eu ia tirar uma foto disso agora, ia virar aqui e vi. Achei muito ruim, vou ter que fazer retorno muito mais para frente. Meu destino era aqui, só virar, agora vou ter que dar a volta”.

Outra condutora, que preferiu não se identificar, prevê fluidez positiva. “Vai ser muito melhor, o trânsito vai fluir mais rápido, eu achei que vai deixar mais rápido”.

As faixas pegaram os condutores de surpresa, mas sem o monitoramento de um agente da Agetran no primeiro dia, vários continuam desrespeitando a nova determinação. “O trânsito está cada vez pior. Meu destino era na Rui Barbosa e agora vou ter que andar mais, não gostei da mudança”, opina Robson dos Santos, 45 anos, administrador de empresas.

Os relatos se dividem em quem terá que se adaptar. “Vi hoje e achei que foi ótimo, o trânsito vai ficar melhor agora, mais equilibrado, a pessoa sabe que não pode virar, ela segue e depois faz o retorno e o trânsito fica mais tranquilo”, finaliza o motorista de aplicativo Eufrásio Claudino, 52 anos.