O candidato do concurso da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Arthur Matheus Martins Rosa, que passou mal na prova do TAF (Teste de Aptidão Física) nesta quinta-feira (3), morreu após desmaiar durante o exercício. Imagens divulgadas revelaram a exaustão dos participantes diante de calor e baixa umidade do ar em .

A assessoria de imprensa da banca examinadora responsável pelo concurso, o Idecan (Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional), confirmou a morte e informou que está prestando “total apoio à família”.

A banca informou, ainda, que a prova seria padrão para concursos do Corpo de e policiais.

Um colega de teste, que preferiu anonimato, informou que a turma foi avisada na manhã desta sexta-feira (4), com o retorno do TAF. A vítima seria de Goiânia e teria viajado para o Estado na busca de conquistar o sonho em prestar o serviço.

Em vídeos repassados ao Jornal Midiamax, dois candidatos desmaiam durante a prova que acontece no Centro Olímpico da Vila Nasser, sob sol forte. A cidade enfrenta índices críticos de umidade relativa do ar, que, segundo o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima), varia de 10 a 30%.

O teste de aptidão é a 4ª fase do concurso da PM, que acontece até sábado (5), com resultado publicado no dia 31 de agosto.

As exigências do TAF incluem, para homens, flexão e extensão de membros superiores na barra fixa, flexão abdominal, carl-up e corrida de 12 minutos. Para as mulheres, flexão de braços no solo (exercícios de apoio), flexão abdominal, carl-up, corrida de 12 minutos.

Posicionamentos

A reportagem entrou em contato com a (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) e a PM para um posicionamento sobre o incidente e aguarda retorno. Sobre os desmaios, a PM havia informado, na quinta-feira (3), que “apenas auxilia no processo avaliativo”.

Confira a nota na íntegra:

O Exame de Capacidade Física do concurso Público para ingresso nos de formação de soldados, e formação de oficiais, da PMMS, é de caráter eliminatório, aplicado por profissionais habilitados, sob a responsabilidade do Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (IDECAN), banca organizadora de todo o concurso, e supervisionado pela Comissão Organizadora.

A Comissão Técnica designada pelo Comandante-Geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, apenas auxilia no processo avaliativo, com aferição da execução dos exercícios, cuja função é permitir a avaliação de padrões de força, coordenação, agilidade, equilíbrio dinâmico, flexibilidade, potência muscular, capacidade aeróbica, anaeróbica e de velocidade, com vista a aferir o condicionamento físico do candidato para suportar os exercícios físicos a que será submetido durante o curso de formação e a resistência necessária para o desempenho da função militar.

Quaisquer questionamentos sobre eventualidades na data, horário e/ou condições de aplicação do teste cabem à banca organizadora.

Já a SAD (Secretaria Estadual de Administração) afirmou em nota que o cronograma de etapas do referido concurso é estabelecido e divulgado via edital antecipadamente.

“Diante da estrutura necessária para a realização deste e do fato que muitos candidatos são oriundos de outras cidades e estados, não é possível adiar ou cancelar as avaliações previamente agendadas. As etapas, dos concursos são desenvolvidas de modo a oferecer a estrutura necessária de avaliação ao candidato para que haja total transparência no processo”.

Confira o vídeo: