O mercado de games está despontando na indústria criativa no Brasil e em Mato Grosso do Sul o cenário não é muito diferente. Entretanto, no Estado a falta de profissionais fundamentais para o mecanismo funcionar é um fator limitante.

Segundo dados consolidados da consultoria Newzoo, o Brasil é o terceiro em usuários no mundo e o 13º no cenário mundial de jogos eletrônicos. Já em MS, o mercado de games avança, principalmente, com os jogos digitais, que têm sido uma das principais escolhas entre os consumidores, o que oferece muitas oportunidades para os pequenos negócios nesse segmento.

Com um futuro promissor, o mercado de games em MS possui profissionais com formações múltiplas. Na maioria dos casos, eles já são gamers e desenvolvem habilidades para poder atuar na área, ou decidem empreender, como é o caso do desenvolvedor web Bruno Pereira, sócio proprietário da Asantee Games, um pequeno estúdio de desenvolvimento de jogos fundado por ele e o sócio, André Santee.

Segundo Bruno, um dos desafios de empreender no setor foi reunir uma equipe experiente na área. “Tivemos vários desafios, o principal acredito que pelo fato de estar em Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, há 10 anos era muito mais difícil montar uma equipe com pessoas que tivessem experiência no segmento de games, e ainda é, mas antigamente era mais”, afirma.

Ele explica que apesar dos desafios, o setor é alcançável para os pequenos empreendedores, além disso, o smartphone popularizou o acesso aos games por se apresentar como uma alternativa aos consoles. “Como optamos por fazer jogos para celular, a gente teve muita ajuda do próprio mercado que cresceu, então publicávamos o jogo que foi desenvolvido aqui na loja do Google e ele é jogado pelo mundo inteiro”, diz.

Várias vertentes

Além das produtoras de games, existem na outra ponta os profissionais que colaboram para a criação do jogo, como trilha sonora. O maestro e produtor musical Rodrigo Faleiros sempre se interessou por videogame, primeiro como jogador e, depois na área musical profissionalmente já na faculdade, quando começou a prestar mais atenção no cenário de trilha sonora focado em jogos. Em pouco tempo, passou a ter contato com especialistas no segmento e viu que era possível ingressar nesse mercado.

“Foi aí que comecei a estudar como funciona uma trilha, o trabalho em si, todas as questões técnicas e artísticas. Comecei a ter mais contatos com grandes compositores como Rafael Langoni e outros”, conta Rodrigo, que além de produzir trilha para jogos, é maestro assistente da Orquestra Sinfônica Municipal de Campo Grande.

Ele diz que o maior desafio acaba sendo também uma das vantagens no mercado em expansão no Brasil: “Ainda não é um segmento que tem grandes empresas, porque o estilo do mercado vem mudando muito. Hoje é mais fácil ter um estúdio pequeno e contratar colaboradores externos para contribuir em projetos específicos. O fundamental é ter bons contatos para pegar esses trabalhos e, a partir do momento, que você dá certo com um time, é provável que você vai ser sempre chamado para atuar com eles”, avalia.

Mercado em crescimento

A alta demanda por entretenimento virtual deve contribuir para que o mercado continue crescendo de forma expressiva, na avaliação do analista de inovação do Sebrae/MS, Flávio Domeniche. Segundo ele, a área de atuação para criadores de jogo abrange possibilidades como game designer, artista 2D/3D, animador, programador, engenheiro de áudio, testador de games e roteiristas.

“Jogar está cada vez mais comum, desde jovens a adultos, cerca de 72% da população que tem acesso à internet e joga algum jogo. Esse é um mercado que possibilita escalar para várias pessoas em qualquer lugar do mundo, ou seja, um produto escalável permite o crescimento natural sem precisar aumentar o esforço que é aplicado para desenvolver uma unidade”, diz Domeniche.

Em Mato Grosso do Sul, tendo em vista esse movimento, o Sebrae/MS incentiva o setor por meio do Living Lab MS, laboratório de inovação que fomenta o desenvolvimento de negócios inovadores.

Para fomentar este mercado, o Living Lab MS vem realizando eventos para conectar profissionais e entusiastas, visando a troca de conhecimentos na área, indicando potenciais tendências e expectativas.

O laboratório de inovação foi iniciado pelo Sebrae/MS em parceria com instituições públicas e privadas. Ele fica na Rua Brasil, nº 205, no bairro Monte Castelo, em Campo Grande. O horário de atendimento é de 8h a 12h e de 14h 17h. Mais informações podem ser obtidas neste link.