Moradora de Campo Grande tem sofrido há cerca de 1 ano com uma infestações de ratos em sua residência, no Santa Mônica 2, em Campo Grande, após um ‘lixão’ espontâneo se formar em um terreno abandonado ao lado de sua casa.

Moradora de 54 anos mora há 28 no local e está considerando se mudar por conta dos ratos. “Está uma situação insustentável. A gente não está podendo comer. Você acredita que o rato roeu até o fio da energia?”, conta ao Jornal Midimax.

Ela relata que o ‘lixão’ começou a se formar com lixo que outros descartam irregularmente no mato. No local, há muitos terrenos baldios, mato e construções vazias que não recebem manutenção. Com isso, o surgimento de roedores se tornou insuportável para a moradora.

ratos
Lixo está tomando conta (Foto: Fala Povo/Jornal Midiamax)

“Eu já perdi as contas de quanto que eu já gastei de remédio, de veneno, de produtos para matar. Já gastei com limpeza no forro, já gastei com dedetização”, elenca a moradora à reportagem.

Com a infestação de ratos, predadores também começaram a aparecer. “Já matei cobra dentro da minha casa. Tem também muito inseto. Eu vou ter que mudar do imóvel porque não estou aguentando mais a situação”, reclama.

“Eu estou tomando medicação para dormir porque eu não consigo dormir na minha casa”, relata ela, que já procurou a prefeitura, mas até o momento nada foi feito para solucionar o problema.

O Jornal Midiamax acionou o Executivo Municipal questionando sobre o lixão irregular. A Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) diz que vai verificar a titularidade do imóvel para realizar a fiscalização.

Caso seja contatada ilegalidade, o proprietário do imóvel deverá ser notificado. A Semadur orienta ao cidadão que nestes casos formalize a denúncia junto a Central de Atendimento, no 156, para que a fiscalização seja acionada e realize a vistoria no local denunciado.

ratos
Mato e lixo no local (Foto: Fala Povo/Jornal Midiamax)