Indígenas ocuparam, na madrugada desta sexta-feira (3), a sede da Inho, em Rio Brilhante, distante a 161 km de , considerada como território ancestral Laranjeira Nhanderu da etnia Guarani Kaiowá. As informações são do Cimi (Conselho Indigenista Missionário). 

Em 26 de fevereiro de 2022, os indígenas Guarani Kaiowá retomaram outra parte da fazenda Inho, em Rio Brilhante. 

O local está em processo de demarcação de território tradicional pela (Fundação Nacional dos Povos Indígenas). Segundo o Cimi, “a já está no local ameaçando despejá-los sem ordem judicial”. 

Conforme relembra a entidade, em junho de 2022, no último episódio de ação semelhante que aconteceu em , na retomada Guapoy, o indígena Vitor Fernandes foi assassinado e dezenas de pessoas foram feridas.