Grupo com 186 candidatos do concurso da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul contesta série de trâmites na condução do certame que vai selecionar 500 soldados. Entre as reclamações, participantes listam descumprimento de prazos, demora na entrega de documentos de devolutivas e falhas na aplicação dos testes. 

“Os erros acontecem desde a prova escrita, que mudou a classificação três vezes porque eles aceitaram recursos fora do período”, reclama uma concurseira. 

No dia do teste psicotécnico, as reclamações se intensificaram. “Os aplicadores não tinham a mínima experiência, inclusive, na minha sala a psicóloga saiu da sala para pedir ajuda porque não conseguia interpretar o teste. Em algumas salas o tempo deixou de ser cronometrado, fora conversas e barulho. Inaceitável o que fizeram”, acrescenta a candidata. 

Nos últimos dias, o Jornal Midiamax recebeu diversas reclamações sobre a aplicação dos testes. “Conversa alta, psicóloga perdida nos testes, candidato extrapolando o tempo, atraso no início da aplicação da prova, foram algumas das situações que eu posso relatar”, pontuou outro concurseiro.

Com a divulgação dos resultados, que consideraram 280 pessoas inaptas, comissão de concurseiros decidiu entrar com recurso, no entanto, desta vez o grupo alega que não consegue ter acesso ao laudo de devolutiva do exame, que serviria para contextualizar o pedido de revisão.

“Na entrevista de devolutiva não conseguimos acesso aos documentos, a psicologia apenas lê em 10 minutos um papel que nem sabemos se realmente é o nosso teste. Eles não respondem nossas perguntas”, afirma concorrente. 

Pelo cronograma, o laudo do exame deveria ser entregue até quarta-feira (8), no entanto, publicação feita na edição desta sexta-feira (10) do Diário Oficial ampliou o prazo para sábado (11). 

Organizadora nega acusações

Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan) nega veementemente as acusações e garante que a aplicação dos testes psicotécnicos ocorreu dentro da normalidade, estritamente conforme as determinações dispostas em edital, com isonomia e transparência.

Ao todo, 32 profissionais de psicologia aplicaram os quatro tipos de testes – regidos por resoluções do Conselho Regional de Psicologia – para avaliar os candidatos com o acompanhamento de profissionais da comissão organizadora com larga experiência na execução do exame.

Para que todos os candidatos tivessem a oportunidade de agendar suas Entrevistas Devolutivas, os prazos foram prorrogados até o dia de hoje, 10 de março. Em relação aos laudos, a banca entende que o acesso deve ser simultâneo a todos os candidatos e estarão disponíveis a partir das 20h, conforme anunciado em comunicado no site idecan.org.br.

Como seriedade, ética e transparência, são princípios presentes em todos os certames sob responsabilidade do Idecan, um novo cronograma das próximas fases do certame também já está disponível.