Uma ideia que surgiu entre estudantes preocupados com meninas que eventualmente poderiam precisar de orientação e de acolhimento no período menstrual ganhou força e virou projeto na Demosthenes Martins, em Campo Grande.

A iniciativa ganhou forma após o corpo discente da abraçar a ideia de estudantes do 6º ano e preparar o “Cantinho da Dignidade Menstrual”, com cartazes de orientações e disponibilização de absorventes íntimos no banheiro feminino, e visando transmitir conforto e acolhimento às jovens, que costumam experimentar nessa faixa etária a primeira menstruação.

Nas paredes do banheiro, frases de empoderamento e apoio emocional foram pintadas pela professora de artes da escola, Adriana Klein. Já em volta do espelho, foram colocados nichos com absorventes, flores decorativas e cartazes. Todos os materiais utilizados foram obtidos por doações de pais de alunos e membros da comunidade estudantil.

Instruções sobre o período menstrual ajudam alunas de escola municipal. (Alicce Rodrigues, Midiamax)

Segundo a diretora da escola, Kelly Fabrícia Pereira Nogueira, o projeto foi abraçado pela comunidade desde o momento em que foi proposto aos pais responsáveis, durante uma festa da escola. A instituição, então, começou a receber doações para que fosse possível colocar a ideia em prática.

“Os auditores que são alunos do 6º, 7º, 8º e 9º anos programaram o que seria de melhoria para a escola. Um ponto que surgiu foi a ideia do Cantinho da Dignidade Menstrual para as meninas, com espelho, nicho… E eles tiveram essa ideia porque outro dia teve uma menina que menstruou pela primeira vez e teve essa dificuldade”, explica.

Diretora parabeniza alunos pela iniciativa do Cantinho da Dignidade Menstrual. (Alicce Rodrigues, Midiamax)

Alunos apontam suas próprias necessidades

Conforme a professora Indignara Holsbach, o projeto superou as expectativas principalmente pelo protagonismo das crianças, que conseguiram analisar as principais necessidades do corpo estudantil, na totalidade, e sugerir as mudanças.

“A gente tenta abraçar as ideias deles. Tudo passa por eles, coisas que nosso olhar talvez não veria. Ouvi-los, sentir a necessidade deles, e fazer com que eles participem, com que sejam protagonistas do projeto é o que faz tudo valer a pena”, afirma.

Os cartazes com instruções de como colocar um absorvente íntimo, e de como lidar com sintomas que costumam aparecer no período menstrual, como cólicas, inchaço, sensibilidade e irritabilidade, foram criados pelas alunas do sétimo ano. Elas contam que a ideia é informar meninas que estejam passando pela primeira menstruação e ainda não estão habituadas à situação.

Alunas do sétimo ano ajudaram a projetar o Cantinho da Dignidade Menstrual. (Alicce Rodrigues, Midiamax)

“Achamos que foi uma coisa muita acolhedora porque na minha sala mesmo tem algumas meninas que não menstruaram ainda e os cartazes são muito importantes para isso. A gente ajudou a fazer os cartazes e colar aqui”, afirmam.

Alunos idealizaram parquinho de diversões

Além do Cantinho da Dignidade Menstrual, outro projeto – também proposto pelos alunos – foi a criação de um parquinho para os alunos brincarem durante o intervalo.

Inicialmente, o projeto era de um parque para as crianças da educação infantil, mas os alunos de séries mais avançadas também demonstraram desejo de serem incluídos. O parque foi entregue em cerimônia para os pais e alunos da escola na última quinta-feira (9).

A coordenadora do projeto, Cristiane Cidrão, conta que o parquinho era um sonho da escola. “Temos aqui os grupos 4 e 5 e precisávamos de um parquinho. Foi então que os alunos acolheram a ideia e nos mobilizamos para obter recursos e realizar a construção”, explica.

Parquinho foi idealizado por alunos da escola. (Alicce Rodrigues, Midiamax)

Saiba Mais