Nesta segunda-feira (13), o Governo Federal realizou uma reunião interministerial para alinhar ações para combater a incêndios que atingem a região norte do Pantanal, em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

No encontro, o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, explicou os procedimentos necessários para o reconhecimento federal de emergência e para o repasse de recursos para os municípios atingidos pelo desastre.

“O reconhecimento federal pode ser feito de forma sumária, pois todo mundo já sabe quais são as necessidades dos municípios atingidos pelos incêndios. Agora, cabe às prefeituras apresentarem os planos de trabalho, que devem trazer, entre outras informações, os danos causados e o valor solicitado. Aí, na sequência, faremos a alocação de recursos para as ações de defesa civil”, destacou Waldez Góes.

Também participaram do encontro os ministros do e Mudança do Clima, Marina Silva, e da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, e o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Wolnei Wolff, além de representantes das Pastas da Justiça e Segurança Pública, Defesa e e do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). Além disso, o governador em exercício do Mato Grosso, Otaviano Pivetta, participou por videoconferência.

População

O atendimento à população atingida está como uma prioridade para o Governo Federal. “É uma orientação do presidente Lula, desde o dia 1º de janeiro de 2023, que todos os Ministérios trabalhem de forma transversal em situações como essa, seja de fogo, enchentes, estiagem ou qualquer outro desastre no Brasil inteiro. Outra determinação é que a gente trabalhe muito próximo aos estados e municípios”, informou.

Brigadistas

O Governo Federal anunciou, no sábado (11), o reforço de brigadistas e aeronaves para o combate a incêndios que atingem o norte do Pantanal. Ibama e ICMBio enviaram 90 brigadistas e quatro aeronaves, dobrando o efetivo na região. Outros 209 servidores federais também atuam no combate ao fogo em outros locais do Pantanal, totalizando 299 em todo o bioma. “Tivemos um aumento de brigadistas na ordem de 23% no estado de Mato Grosso.

Essa é uma questão de emergência, estamos agindo em conjunto, não tem como agir separado. Não existe fogo municipal, fogo estadual, fogo federal. O fogo é o fogo que está destruindo o Pantanal. Portanto, estamos agindo”, ressaltou a ministra Marina Silva.

Neste domingo, chegarão mais três aeronaves: do Ibama, do ICMBio e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), além de equipamentos e um caminhão do Centro Nacional de e Combate a Incêndios Florestais (Prevfogo).

Causa dos incêndios

Em 21 de outubro, três raios atingiram o Parque Nacional do Pantanal, a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Dorochê e uma propriedade particular próxima, dando início a incêndios. Desde então, 47 brigadistas federais se concentram na região. O fogo alcançou 27 mil hectares no Parque e 23 mil ha na RPPN.

No Parque Estadual Encontro das Águas, que também foi atingido, quase 36 mil hectares de vegetação foram queimados. Em razão do período de seca no bioma e de dificuldades de acesso a áreas com incêndios florestais, as equipes precisaram ser reforçadas. Há previsão de aumento da temperatura nos próximos 15 dias na região.

Saiba Mais