No bairro Tarumã, em Campo Grande, uma fofoca resultou na rua Fanorte cheia de lixo e entulho. Restos de árvores, de móveis, sofás e até um colchão foram depositados na rua, bem em frente a UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) e o problema persiste há mais de duas semanas.

Comerciante do bairro, Iraci Siqueira, 65 anos, conta que rolou uma conversa no bairro de que era para jogar o lixo no local, que a prefeitura de Campo Grande iria recolher em breve. Nisso, vários moradores limparam seus quintais e depositaram todo o lixo na rua.

“Já faz mais de duas semanas isso. Vou fazer uma festa de dia das aqui e estou pensando como vai ser, com esse lixo todo na rua, o perigo de animais peçonhentos”, conta a comerciante.

Próximo ao local funciona o Instituto Manuel Bonifácio, um projeto social que atende crianças e a assistente social Anne Cristina Dantas, 33 anos, afirma que a situação tem impactado a rotina com as crianças. “Elas usavam o espaço da praça para fazer ensaios e com esse lixo está bem perigoso, é um risco grande para as crianças e ainda deixa o ambiente feio”, conta.

Lixo impacta movimento do comércio local

Outra comerciante do bairro conta que o lixo chega a impactar as vendas, devido ao mau cheiro na região. “As pessoas entram aqui, comentam do lixo, do cheiro ruim. É uma situação bem desagradável”, diz.

A comerciante, que prefere não se identificar, conta ainda que um dia chegou para trabalhar e se deparou com o lixo. Já a manicure Sônia de Paula Barbosa, 47, conta que um fiscal da prefeitura esteve no local e pediu para que denunciasse a situação.

“A vizinha chegou a passar mal aqui, com o cheiro ruim de animal morto aqui. Fora o perigo de e de escorpião com esse entulho todo de lixo”, afirma. Ela ainda comenta que com o amontoado de lixo, pessoas de outros bairros aparecem para jogar entulho por lá.

A prefeitura de Campo Grande foi questionada sobre a situação e o espaço segue aberto ao posicionamento.

Está sabendo de algo que MS precisa saber? Conte pro Midiamax!

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Você pode enviar flagrantes inusitados, denúncias, e sugestões com total sigilo garantido pela lei.

Acompanhe nossas atualizações no FacebookInstagram e Tiktok

Saiba Mais