O fim de semana de , que compreendeu entre os dias 22 e 25 de dezembro, teve aumento nos casos de pessoas que deram entrada no hospital , em , vítimas de disparo de arma de fogo e feridos com golpes de faca. 

 Segundo o hospital, em relação ao fim de semana anterior o aumento foi de 114% dos casos. Os números registrados trazem consigo um alerta em relação às possíveis demandas durante o Réveillon.

Nesse período, feridos com golpes de faca e arma de fogo já contabilizam 15 vítimas atendidas, ou seja, o dobro da semana anterior, que receberam 7 vítimas.

O Coordenador do Pronto-socorro da Santa Casa, Dr. Marcos Bonilha, se diz preocupado com o que pode vir em relação ao Ano Novo. “Durante o Natal, nossa equipe trabalhou incansavelmente para garantir que cada paciente recebesse a atenção necessária. No entanto, com a proximidade do Ano Novo, nossa preocupação aumenta, ainda mais em casos que podem ser evitados”, declara.

Os procedimentos cirúrgicos no Natal superou as expectativas das equipes, conforme o Diretor Técnico interino, Dr. Diogo Gomes, também Coordenador Médico do Centro Cirúrgico. “Temos um número de procedimento esperado para o final de semana, porém não imaginávamos aumento neste feriado, onde a festividade é familiar. Assim, pedimos à comunidade que esteja atenta às medidas de segurança, evitando comportamentos de risco que possam resultar em situações emergenciais”, declara.

A Santa Casa de Campo Grande reforça apelo para que a população adote medidas responsáveis, evitando situações de risco, além de lembrar da importância de buscar atendimento médico apenas em casos de real necessidade, contribuindo para o alívio da carga sobre os serviços de saúde.

“Estamos comprometidos em oferecer cuidados de qualidade, porém a colaboração da comunidade é vital para enfrentar os desafios que podem surgir durante os feriados”, conclui o Diretor Técnico interino, Diogo Gomes.

Dados do Pronto-socorro

O Serviço de Urgência e Emergência do Pronto-socorro também registrou, no período de 22 a 25 de dezembro, o atendimento de 27 pacientes vítimas de agressão, um aumento de 92% em relação a um final de semana anterior. Já os vitimados no trânsito, seja na Capital ou interior, a quantidade de pessoas somou 108 casos, uma semana antes, o número foi de 82 pacientes.