Enfermagem do município, que atendem pricipalmente em UPAs e unidades de saúde de entraram em greve após assembleia que aconteceu na noite desta quinta-feira (23) no Sinte/PMCG (Sindicato dos Trabalhadores Públicos em Enfermagem de Campo Grande).

De acordo com o sindicato, a greve é uma resposta a várias tentativas de negociação negadas pela administração municipal quanto a pautas como insalubridade, enquadramento no Plano de Cargos e Carreira da categoria e implementação do piso nacional da enfermagem. A prefeitura será notificada pela manhã.

“O enquadramento na carreira tinha prazo legal já vencido, era para ter ocorrido até 31 de dezembro do ano passado. Isso somado ao desgaste de uma categoria desvalorizada resultou na aprovação do nosso movimento grevista”, relata Ângelo Macedo, presidente do Sinte/PMCG. O ofício n. 427/GAB/SEGES, de 15 de fevereiro, recusa todas as negociações propostas pelo sindicato.

Segundo o assessor jurídico do Sinte, o advogado Márcio Almeida, explica que a partir da aprovação unânime pela assembleia, uma notificação será enviada à Prefeitura pela manhã. “Após a notificação na manhã de sexta (24), a greve terá início legal em 72h, impactando o atendimento a partir de segunda-feira (27). Ângelo Macedo pontua que aguarda que o Município tenha sensibilidade e busque atender à pauta de reivindicações antes do início da deflagração da greve.