A comissão mista formada pela diretoria da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública) e de secretários municipais se reuniu na manhã desta quinta-feira (19) para discutir sobre o reajuste salarial dos professores municipais de 10,39%, que estava previsto em lei para novembro do ano passado.

Na reunião ficou estabelecido um novo encontro, desta vez marcado para a próxima terça-feira (24), às 9h, para que ACP, a Prefeitura e a Câmara Municipal tragam propostas sobre o cumprimento dos 10,39%. A retomada de negociações neste ano ocorreu na última segunda-feira (16), quando ficou definida a comissão mista para tratar do assunto.

“[A intenção] é sair com um entendimento geral”, afirmou o presidente da ACP, Gilvano Bronzoni.

O resultado do encontro será apresentado em uma assembleia geral dos professores municipais. Posteriormente, deve ser marcada nova reunião para definir o calendário de reajustes de 2023 para o piso de 20 horas.

Mobilização desde 2022

O último bimestre de 2022 foi marcado por intensa movimentação dos professores a favor do reajuste integral, com a realização de paralisações e greve de uma semana.

Na época, a Prefeitura Municipal de Campo Grande alegou falta de recursos e compromisso com a lei de responsabilidade fiscal para não conceder o aumento conforme a Lei 6.796/2022 para o piso de 20 horas.

A última proposta da Prefeitura feita aos professores, que foi rejeitada pela categoria, era de dividir os 10,39% de aumento em três parcelas, chegando ao total em dezembro de 2023: 3,42% em janeiro de 2023; 3,48% em maio e outros 3,48% em dezembro.

As negociações foram encerradas em dezembro com a promessa de serem retomadas no início deste ano.

Reunião

De acordo com vídeo divulgado nas redes sociais da ACP, na próxima sexta-feira (20), às 14h, será realizada uma reunião entre a categoria e o secretário municipal de educação, Lucas Henrique Bitencourt, para tratar sobre os processos seletivos e lotações de 2023.