A cidade de Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande, calcula um prejuízo de cerca de R$ 15 milhões devido aos estragos causados pelas chuvas na última quinta-feira (16), quando em 24 horas caiu 236 milímetros de , volume esperado para todo o mês. O cálculo foi realizado pela Secretaria de Obras e Urbanismo de .

Entre os transtornos estimados pela Prefeitura Municipal de Ponta Porã estão 40 famílias desalojadas e abrigadas em espaços públicos, três pontes urbanas prejudicadas, estragos em asfalto e estradas interditadas. 

De acordo com o prefeito de Ponta Porã, (PSDB), o município irá solicitar a totalidade da verba para restauração dos prejuízos para o Governo Federal e pedir ajuda para o Governo de Mato Grosso do Sul. 

“As obras emergenciais já foram realizadas, principalmente aquela de contenção de uma ponte que estava para desabar. As pistas continuam interditadas e as obras de recuperação de infraestrutura de asfalto vão depender da liberação dessas verbas”, explica o líder do executivo municipal.

Cidade foi castigada pelas chuvas

Com o solo encharcado, parte da terra e do asfalto cederam na ponte sobre o córrego São João Mirim, no Bairro Estoril, deixando à mostra a base de concreto da passarela.

A Rua México, onde fica a ponte, foi interditada pela Prefeitura e moradores foram orientados a buscar rotas alternativas. 

A Prefeitura Municipal de Ponta Porã publicou, na sexta-feira (17), um decreto que colocou a cidade em situação de emergência. Conforme a Secretaria de Obras e Urbanismo de Ponta Porã, os danos foram verificados nas seguintes áreas:

  • 3 pontes urbanas;
  • 1 Galeria no Itamarati;
  • Diversas erosões na região urbana (principalmente nas regiões periféricas);
  • Estradas vicinais utilizadas para escoamento de grãos;
  • Diversas casas inundadas nas regiões mais baixas, com percas de móveis e danos materiais.