Em busca de uma vaga na ( Federal de Mato Grosso do Sul), centenas de estudantes fazem a prova do Passe (Programa de Avaliação Seriada Seletiva) neste domingo (10). Neste ano, a modalidade de ingresso na Universidade oferece 1.080 vagas para estudantes do ensino médio.

Pela manhã, os arredores do prédio da UFMS e da Faculdade Estácio, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, tiveram movimentação intensa de veículos e pessoas. Antes das 7h já era possível notar fila de estudantes aguardando a abertura dos portões. Na região da Avenida Costa e Silva, breve congestionamento se formou na pista.

As provas seguem até às 13h e, além da Capital, estão sendo aplicadas em Campo Grande, Aquidauana, Chapadão do Sul, Corumbá, Coxim, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba, e e Dourados.

As vagas em disputa são para ingresso em 2024 em 115 de graduação presenciais e de Educação a distância. O conteúdo é programático adaptado ao novo ensino médio, dividido em três etapas:

  • 1ª etapa – Os estudantes concluintes do 1º ano do ensino médio regular ou do 2º ano do ensino médio técnico com duração de 4 anos.
  • 2ª etapa – Os estudantes concluintes do 2º ano do ensino médio regular ou do 3º ano do ensino médio técnico com duração de 4 anos.
  • 3ª etapa – Os estudantes concluintes do 3º ano do ensino médio regular ou do 4º ano do ensino médio técnico com duração de 4 anos.

Fapec (Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e à Cultura) é responsável pelo processo seletivo. Recentemente, a empresa foi alvo de ataque hacker na tarde desta terça-feira (5), por conta dos recentes erros nas provas como vestibular da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e UEMS (Universidade Estadual de MS).

O ataque foi reivindicado pelo hacker Low Profile, intitulado como da ‘Alta Hierarquia do Coletivo Internacional Anonymous’.

Erros no vestibular

Alunos e professores de cursinhos pré-vestibular lançaram o movimento #ForaFapec devido a erros em questões do vestibular da UFMS e UEMS. As provas foram aplicadas pela banca organizadora Fapec em 26 de novembro (UEMS) e em 3 de dezembro (UFMS). 

Cerca de 70 professores e dezenas de vestibulandos protestam contra erros nas avaliações, desde erros de digitação a questões sem alternativas corretas, o que prejudicaria o desempenho dos candidatos.

O movimento coletivo composto por cerca de dez instituições de cursinhos pré-vestibular levantou nas redes sociais as hashtags #ForaFapec e #MudaFapec, pedindo mudanças na banca.