Latidos e miados ecoam no Parque dos Poderes, em Campo Grande, na manhã deste domingo (21) com a 1ª Cãominhada do bem-estar animal. A causa ainda reúne atendimento veterinário, vacinação e doação de animais de protetores independentes.

Do vira-lata ao cão servidor, raças estiveram caminhando em prol da causa contra os maus-tratos ao bichos de quatro patas. Acompanhado com os tutores, os bichos percorreram um trecho de 200 metros, com largada em frente a Governadoria. Segundo a organização, cerca de 500 pessoas compareceram à edição inédita.

O grande Arthur, um cão da raça terra nova, saiu da fazenda para estar no meio da muvuca. A tutora Gabriely Paliga, de 31 anos, é a terceira vez que participa de eventos semelhantes. Um pouco distante dos cães, o tamanho dele assusta, mas ela garante que ele é sociável e “cão herói” doador de sangue.

“Acho que eventos assim tinham que acontecer mais de duas vezes no ano. Nós gostamos muito de estar envolvidos nesse meio. Um cão fazendo bem ao outro”, disse.

Amanda fazendo carinho em cães do evento (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

O encontro segue até 12h, reunindo feira livre de pessoal na causa, como lojas de alimentos animais, vendedoras de coleiras personalizadas e doação de animais. Marlene Batista, protetora independente, levou alguns animais para receber um lar. Os interessados preenchem uma ficha de responsabilidade, o que não permanece só ali, pois depois de seis meses ela retorna o contato para saber do convívio do bicho e agendamento da castração.

(Foto: Marcos Ermínio)

“Tenho na minha casa cerca de 70 gatos e 25 cães, todos resgatados da rua que destinamos ao cuidado e depois um lar. Eventos assim são oportunidades disso; todo protetor tem um grande número de animais sob responsabilidade até receber uma nova família”.

Emocionada e quase chorando, Elizangela Barros não escondia a felicidade de adotar o primeiro gato da casa: São Jorge. O filhote de pelos pretos e olhos azuis garantiu o colo durante todo o processo de adoção. “Estou arrepiada! Sabe aquele amor imediato e de primeira vista? Tenho outros cães em casa, mas esse será o caçula”, contou a servidora.

(Foto: Marcos Ermínio)

Cães companheiros

Dândara Rezende é apaixonada por adoção, tanto que tem três gatos e três cachorros, todos de resgate da rua ou vítimas de maus-tratos. Ao lado de Amanda, uma menina de sete anos e cadeirante, a servidora relata a energia que um animalzinho tem de transformar a vivência e desenvolvimento de uma com deficiência. “Ele [Romeu] ajuda muito no desenvolvimento dela. Meio a família toda participar”.

Os cães do abriram a largada da cãominhada. Inclusive, diversas raças de cães que atuam como servidores estiveram no evento, como da Polícia Militar, Choque e Polícia Civil, ambos com guias de identificação da corporação.

Mas quem entrou na brincadeira foram Merlin e Pirulito, cães de Stella Franco, vestidos de Mario e Luigi. “Eles estão um pouco assustados porque é nossa primeira vez, mas estão se comportando bem”, descreve.

Vacinação

A equipe do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) está no trecho até 12h. Conforme uma servidora, estão sendo oferecidos serviços de vacinação antirrábica, microchipagem e exames de sangue para doenças, como leishmaniose. Todo serviço é e por demanda espontânea, ou seja, basta chegar e entrar na fila.