Mato Grosso do Sul corre riscos por conta da onda de calor que atinge o Estado já na próxima semana. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu quatro alerta sobre as altas temperaturas e baixa umidade para o Estado a partir desta sexta-feira (10).

O mais grave cobre boa parte de Mato Grosso do Sul. Segundo o instituto, as temperaturas devem ficar 5°C acima da média por até cinco dias, gerando riscos à saúde.

Um segundo alerta cobre a parte sul do Estado. As temperaturas também devem ser altas, mas por um período reduzido de tempo, também gerando riscos para a saúde.

Assim, confira todas as cidades clicando aqui e aqui.

Representadas em vermelho e laranja, ondas de calor e baixa umidade cobrem todo o Estado. (Fonte: Inmet)

Além das temperaturas elevadas, um terceiro comunicado alerta sobre a baixa umidade na região nordeste de Mato Grosso do Sul. Por lá, a umidade deve ficar entre 20% e 12%.

Com o cenário esperado, o Inmet divulgou algumas orientações para a população. Confira:

  • Beba bastante líquido.
  • Atividades físicas não são recomendadas.
  • Evite ao sol nas horas mais quentes do dia.
  • Use hidratante para pele e umidifique o ambiente.
  • Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao (telefone 193).

Onda de calor coloca cidades de MS entre as mais quentes do Brasil

Mato Grosso do Sul tem aparecido no cenário nacional por estar quase pegando fogo com as altas temperaturas registradas no Estado por dias seguidos. Nesta quinta-feira (9), Coxim alcançou os 40,3°C, se tornando a cidade mais quente do país.

Com isso, MS e Mato Grosso parecem disputar no número de cidades mais quentes do Brasil – os dois estados vigoram com seis municípios na do órgão.

De acordo com o Inmet, em 2º lugar aparece Cuiabá, com 40°C. Corumbá surge logo em seguida com seus 39,8°C.

Por fim, dentre as 20 cidades mais quentes, o sul-mato-grossense sofreu com calorão de:

  • 5º – Porto Murtinho – 39,7°C
  • 7º – Água Clara – 39,6°C
  • 15º – Aquidauana – 38,8°C
  • 16º – Miranda – 38,8°C

Saiba Mais