Se você é sul-mato-grossense certamente estranhou os repetidos dias de chuva que se instalaram no Estado durante os últimos meses. Com chuva acima da média histórica na maioria das cidades, cenário atípico para a região, o verão em Mato Grosso do Sul foi de chuva recorde e com temperatura até 1°C menor que o comum para o período. 

“Como choveu muito e a presença de nuvens foi grande, as temperaturas em janeiro e fevereiro ficaram de 0,5°C a 1,0°C abaixo da média para o período, ou seja, um verão com temperaturas mais amenas ou abaixo do normal”, explica o meteorologista Vinicius Sperling, do  (Centro de Monitoramento do e do Tempo). 

Conforme análise do Cemtec, em janeiro o acumulado de chuvas no Estado variou entre 180 e 360 milímetros e de 36 municípios analisados, 26 tiveram chuvas acima do normal. Entre as cidades, destaque para , onde se observou acumulado de 429,6 milímetros, totalizando percentual 76,8% maior que a média histórica do município. 

Em Campo Grande, a precipitação acumulada no mês foi de 347,4 milímetros, representando 49,8% a mais da média de chuva para a Capital. Coxim, São Gabriel do Oeste, Dois Irmãos do Buriti, Bela Vista, Ponta Porã, Corumbá e Dourados tiveram chuva 50% acima do esperado em janeiro.

Fevereiro com mais chuva

Já em fevereiro, as chuvas foram ainda mais intensas, com acumulado que variou entre 200 e 600 milímetros, de 100 a 350% acima do normal para o Estado. 

Em Ponta Porã, onde a prefeitura teve de decretar situação de emergência por causa dos estragos provocados por temporais, choveu 233% a mais do que a média histórica da região, um acumulado de 539,4 milímetros, enquanto o comum era 161 milímetros. 

Em Mundo Novo, enquanto o esperado era chuva de 142 milímetros, choveu 453. Na Capital, a precipitação acumulada mensal foi de 225,8 milímetros, cerca de 30% a mais do que se esperava. 

No mês passado, a chuva ficou acima de 100% do esperado em , Amambai, Bela Vista, Maracaju, Itaporã, Dourados, São Gabriel do Oeste, , Sete Quedas, Ivinhema e Corumbá

As análises de março ainda não foram concluídas, no entanto, segundo especialistas, o mês segue a mesma tendência, com chuvas acima do esperado e temperaturas mais amenas.

Estado de emergência

Com diversos registros de temporais, 12 cidades de Mato Grosso do Sul decretaram situação de emergência, especialmente as da região de fronteira e sul do Estado, que enfrentaram de alagamentos a destruições de pontes e interrupções de vias de acesso.

Na semana passada entraram na lista Anastácio, Bela Vista e Porto Murtinho, que somaram-se  Bonito, Antônio João, Nioaque, Caracol, Corguinho, Tacuru, Ponta Porã, Ivinhema e Ribas do Rio Pardo.

Outono de oscilação

Para o outono, o prognóstico para Mato Grosso do Sul aponta presença de características do Verão nos primeiros dias da nova estação, como as pancadas de chuvas no fim da tarde. Durante os três meses podem ocorrer mudanças do tempo para estiagens, quedas nas temperaturas, chuvas rápidas e fortes à noite.

De acordo com a análise do meteorologista Natálio Abrahão, a partir de estatísticas da Uniderp e modelos do ECMWF (Centro Europeu de Previsões Meteorológicas a Médio Prazo), o calor e a umidade elevados devem continuar com máximas que ultrapassam 30°C e acima de 65% de umidade relativa do ar.

Saiba Mais