A Associação Cidade dos Meninos e a FEAPAES/MS (Federação das Apaes de Mato Grosso do Sul) receberam o ‘Prêmio em Ação de MS’, por boas práticas de atuação na área de Direitos Humanos no Estado.

A classificação do prêmio em cada categoria foi divulgada pela Sead (Secretaria de Estado de e dos Direitos Humanos) na edição desta sexta-feira (1º) do DOE-MS (Diário Oficial do Estado).

Na categoria pessoa jurídica, a ‘Cidade dos Meninos’ ficou em primeiro lugar na classificação final, seguida pela Federação das Apaes (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais).

Já na categoria pessoa física, a premiada foi a escritora, atriz, intérprete e tradutora, Rosana Iriani Daza de Garcia. O segundo lugar não teve classificado. A premiação é de R$ 5 mil para o primeiro lugar, e R$ 3 mil para o segundo lugar.

Todos receberam o prêmio como parte da VII Semana Estadual de Diretos Humanos, realizada desde quarta-feira (28) e encerrada na quinta-feira (30). 

Alvo de operação

A premiação vem na mesma semana em que a Apae ficou no centro da operação Turn Off do Gecoc (Grupo Especial de Combate à Corrupção) e Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), que mira fraudes em licitações para aquisição de itens via Governo do Estado.

Conforme trecho da investigação, os irmãos Lucas Andrade Coutinho e Sérgio Duarte Coutinho teriam cooptado servidores, como o então coordenador técnico do Centro Especializado em Reabilitação e Oficina Ortopédica da Apae, Paulo Henrique Muleta Andrade.

Paulo receberia, conforme as mensagens trocadas entre os investigados, 4% das vendas efetuadas pelas empresas para a Apae. O recebimento de propina teria acontecido por ao menos três anos, entre 2019 e 2022. A Apae da Capital suspendeu contratos com funcionários investigados na operação.

Saiba Mais