Com adiantamento da campanha de vacinação da gripe em , Campo Grande deve iniciar as aplicações em até três dias na Capital. De acordo com a (Secretaria Municipal de Saúde), últimos detalhes do cronograma de atendimentos estão sendo definidos e a previsão é de que as doses estejam disponíveis aos moradores entre quinta e sexta-feira. 

Na manhã desta terça-feira (28), a procura pelas vacinas não foi sentida nas unidades básicas de saúde. “O pessoal ainda não está sabendo”, comentou servidora ouvida pelo Jornal Midiamax. Em outro posto, a direção ainda aguardava direcionamento da Sesau. 

Hoje, a SES (Secretaria Estadual de Saúde) autorizou os 79 municípios a darem início à campanha, que começaria no dia 10 de abril. A oferta foi estendida a todos os moradores, independente de grupos de risco. Para a decisão, foi levado em conta o aumento considerável de casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave).  

Ao todo, Mato Grosso do Sul recebeu o primeiro lote com 92 mil vacinas, que já começaram a ser distribuídas. 

“A decisão de fazer a entrega destes imunizantes é em razão da chegada do outono e também devido ao aumento de casos de SRAG – doenças respiratórias. Por isso, resolvemos antecipar a vacinação em nosso Estado”, pontuou a coordenadora estadual de Vigilância Epidemiológica da SES, Ana Paula Rezende de Oliveira Goldfinger.

Alta de casos

Mato Grosso do Sul tem atualmente 1.226 pessoas hospitalizadas por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), das quais 50% são crianças entre zero e nove anos. Surto de doenças respiratórias em crianças tem pressionado o sistema de saúde de Campo Grande, com situações diárias de postos lotados e demora de horas por atendimento.

Boletim InfoGripe, da Friocruz, traz dados que apontam um sinal de crescimento de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) na tendência de longo prazo em Mato Grosso do Sul. O levantamento foi divulgado nesta segunda-feira (27).

Vacinação abaixo da média

Em junho do ano passado, a campanha de vacinação contra a gripe foi encerrada em Campo Grande com menos de 40% da meta atingida. O prazo já havia sido prorrogado e o público-alvo ampliado justamente por conta da baixa adesão de moradores. 

O imunizante é alternativa para prevenção de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Entre os públicos prioritários, foram vacinados apenas 38,34% do total, que representa 108.011 pessoas entre 281.732 que poderiam procurar os pontos de vacinação. Os dados refletem tanto a imunização oferecida pelo como doses válidas aplicadas pela rede particular. A meta estabelecida pelo Ministério é de 90%.

Dentre os grupos, o maior índice de vacinação foi entre trabalhadores de saúde, com 52,81% de imunização. Na sequência, professores de ensino básico e superior, com 40,77%. Os menores índices foram entre pessoas com deficiência permanente (1,32%) e forças armadas (5,55%).

Após a campanha, a vacina seguiu disponível para todos os moradores. 

Saiba Mais