Uma estudante de 16 anos, que prefere não se identificar, disse que realizou o segundo dia da prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), em Campo Grande, sob condições que a deixaram em desvantagem em relação aos demais candidatos. Segundo ela, algumas pessoas convocadas para a Escola Municipal Professor Licurgo de Oliveira, na Vila Nasser, região norte da cidade, enfrentaram forte calorão em uma sala com ar-condicionado e ventilador estragados. Neste domingo (11), a temperatura média foi de 37°C e a sensação térmica ultrapassou 40°C.

“Passei muito calor ao fazer a prova, foi bem complicado. Eu passei muito calor, as pessoas que estavam na sala e até o fiscal reclamou do calor. Eles disseram que, mais cedo, tentaram ligar o ar-condicionado, só que não refrigerava. Depois, optaram por deixar as janelas abertas, só que, em certo momento, ficou mais quente ainda e outra candidata pediu para ligar o ventilador de teto, só que não funcionava e em resumo ficamos sem nada, sem nenhuma refrigeração”, argumentou a jovem.

O pai da estudante, um servidor público aposentado, que também não quer se identificar, disse que foi buscar a filha e ficou abismado. “São de 4 a 5 horas de prova e não tinha um ventilador funcionando, ar-condicionado muito menos. E é injusto ela ficar fazendo prova com tanto calor, nestas condições. Eu acho algo injusto e agora imagina as crianças que ali estudam, em horário eletivo. Acredito que fica algo improdutivo. Fiquei realmente abismado, de orelha em pé ao ver a situação. É desumano e a gente fica sem ter a quem recorrer”, ressaltou.

A reportagem entrou em contato com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e a Semed (Secretaria Municipal de Educação), enviando emails e fazendo contato por WhatsApp nessa segunda-feira (13), aguardando o retorno para publicação. Mas, até esta manhã (14), não obteve retorno.

Prazo para pedir a reaplicação e refazer as provas

Imagem ilustrativa. (Freepik/Reprodução)

Nesta segunda-feira (13) até a próxima sexta-feira (17) ocorre o prazo para quem perdeu o Exame e quer pedir a reaplicação para fazer as provas em dezembro de 2023.

No entanto, é preciso seguir as regras do edital.

A aplicação será nos dias 12 e 13, mesma data de pessoas privadas de liberdade.