O incêndio que destruiu uma área da fábrica de celulosa da Suzano, em Ribas do Rio Pardo, distante 98 km de , atingiu um setor inaugurado há pouco mais de 1 mês. De acordo com a assessoria de imprensa da empresa, as chamas atingiram uma das torres de resfriamento na tarde desta quarta-feira (6).

Imagens compartilhadas pelo portal Ribas Ordinário mostram como ficou a área atingida pelo fogo, com boa parte da estrutura escurecida devido às chamas. 

Torre de resfriamento da Suzano atingida pelo incêndio. (Divulgação Ribas Ordinário)
Suzano divulgou andamento das obras um dia antes do incêndio. (Divulgação Suzano)

Um dia antes do incêndio, a Suzano divulgou um vídeo sobre o andamento da bilionária que promete ser a maior planta de celulose em linha única do mundo. Em um trecho das gravações, as torres de resfriamento são apresentadas e depois parte da equipe da Suzano aparece em uma foto que celebra a “conclusão do comissionamento e pronto para partida da torre de resfriamento da utilidades”.

A data é 31 de outubro de 2023, ou seja, pouco mais de um mês antes do incêndio. Na terça-feira (5), quando as imagens foram divulgadas, a Suzano informou que foi dada a partida parcial da torre de resfriamento e utilidades e dos chillers com a finalização do primeiro comissionamento.

A empresa afirmou, em nota ao Midiamax, que as obras de construção da nova fábrica continuam normalmente e que o incidente não irá afetar o cronograma de conclusão do empreendimento, previsto para junho de 2024. 

Sobre o incêndio

A altura e cor escura da fumaça na fábrica de celulose chamou a atenção dos moradores da cidade. Ainda não se sabe como o incêndio iniciou. 

De acordo com a Suzano, ninguém ficou ferido durante o incidente e o fogo foi apagado por volta de 40 minutos pelas equipes de brigadistas da própria empresa e pelo Corpo de da de Ribas do Rio Pardo.

Saiba Mais