O sonho de ingressar no Ensino Superior se tornou um pesadelo para a estudante Josiely Acosta Ribeiro, 17, após identificar um erro em seu local de prova para o (Exame Nacional do Ensino Médio). Moradora em , no interior de Mato Grosso do Sul, Josiely ficou surpresa ao descobrir que a alocação da sua prova estava em , a 235 km de distância.

Vanessa Duarte Siqueira, prima de Josiely, foi responsável pela inscrição da jovem e lembra de ter selecionado corretamente a cidade de Jardim como sua residência. No entanto, às vésperas da prova, descobriram que o local havia sido alterado.

“Fiz a inscrição corretamente, não sei o que aconteceu no site, mas quando verificamos o local de prova, estava em Campo Grande, o que se tornou completamente inviável para ela ir até lá”, diz a prima.

Para Josiely, que se preparou o ano inteiro e sonha em cursar Arquitetura e Urbanismo, a notícia foi um choque. Agora, a jovem se encontra em uma situação difícil, sem saber como fará para comparecer em Campo Grande nos dois dias de prova.

“Me sinto muito mal com tudo isso. Minha família não tem condições de se deslocar até Campo Grande durante dois finais de semana. Além da pressão da prova, agora tenho que lidar com essa situação”, lamenta.

Distância não pode ultrapassar 30 km

Conforme o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), a distância máxima entre a residência do candidato e o local da prova não podem ultrapassar 30 km. Caso isso ocorra, o Portal Nacional da orienta o participante a entrar em contato por meio do número (61) 9.9129-8686.

No entanto, a família da candidata ressalta que entrou em contato com o Portal da Educação, mas não obteve resposta e nem um prazo para que o problema fosse resolvido. “Disseram que foi repassado para a imprensa”, diz a estudante.

Josiely também destaca que, em 2022, fez o Enem como treineira em Jardim e não enfrentou nenhum problema. “Isso pegou todos de surpresa. No ano anterior, quando eu estava no 2° ano, não tive problemas e a prova foi realizada em uma escola próxima da minha casa, em Jardim”, afirma.

Após inúmeras reclamações, Inep irá analisar locais de prova

O problema enfrentado por Josiely não é um caso isolado. Desde a divulgação dos locais de prova na última terça-feira (24), vários candidatos têm expressado preocupações com a distância entre seus endereços e os locais de aplicação da prova do Enem.

Por meio das redes sociais, estudantes de todo o Brasil pedem que o Inep revise os locais de provas do Enem.

Em resposta às queixas, o Inep, responsável pelo exame, emitiu uma nota informando que está revisando a definição dos locais de prova realizada pelo Cebraspe, a instituição vencedora do processo licitatório para aplicação do Enem em 2023.

O Instituto destacou que tomará as medidas necessárias para garantir que todos os participantes inscritos façam as provas desta edição conforme as diretrizes estabelecidas nos regulamentos que regem a aplicação do exame.

Desde 1998, o Enem é utilizado para avaliar o desempenho dos estudantes ao término da educação básica (3º ano) e se tornou uma das principais formas de ingresso nos de graduação. Neste ano, as provas estão agendadas para os dias 5 e 12 de novembro.

A reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a Assessoria de Comunicação do Inep sobre o problema de Josiely, mas até o fechamento desta reportagem não obteve resposta.