A PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) emitiu nota nesta quinta-feira (7) após confusão envolvendo manifestantes e deputado estadual, Pedro Kemp (PT), no Grito dos Excluídos. O parlamentar teria ultrapassado grade de segurança que militares haviam posicionado para impedir passagem e Kemp classificou ação como ‘repressão desnecessária’.

Em um dos vídeos publicados, Kemp disse que ao final do ato, a polícia teria impedido a passagem, não deixando que os participantes passassem pelo palanque onde estavam as autoridades. “Somos cidadãos que desejam se manifestar por um país com mais igualdade social e fraternidade. Gritamos pelos excluídos. Democracia, paz e justiça social”, disse.

A PMMS emitiu nota, afirmando que em determinado momento precisou isolar a área do palanque em um cordão formado pelos policiais e que logo seria desfeito após a solenidade havendo a liberação da via para que o grupo que participava do Grito dos Excluídos pudessem passar.

Ao fim da nota, lamentou o ocorrido envolvendo o deputado. “A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul lamenta o incidente ocorrido envolvendo o Deputado Estadual Pedro Kemp o qual demonstrou desconhecer os procedimentos que estavam em curso e de maneira equivocada tentou transpor o cordão de isolamento, bem como, incitou algumas pessoas a realizar tal ato. Esclarecemos que tão logo ocorrera a solenidade de encerramento do desfile houve a liberação da via”, disse.