Inspirada nos mercados ao ar livre de Paris, Campo Grande recebe neste domingo (3) o 1° “Marché Aux Puces”, ou Mercado das Pulgas em português. Tradição europeia, a feira que consiste na compra e venda de itens usados, impulsiona a economia circular e confere novos significados a objetos que seriam destinados ao lixo ou ao fundo do armário.

Com mais de 50 expositores, a feira reunirá antiguidades, objetos usados, colecionáveis, móveis antigos, pratarias, decorações diversas e . O Mercado das Pulgas será das 8h ás 14h, nos altos da Avenida Afonso Pena, entre o e a rotatória, o local promete ser um ponto de encontro regular para colecionadores e entusiastas de antiguidades em Campo Grande.

Mercado de pulgas?

mercado Feira de antiguidades
Mercado de Pulgas foi aprovado pelos vereadores (Henrique Arakaki/ Midiamax)

Na década de 80, antes da popularização do termo ‘vintage’ e da fama dos brechós, a economia circular prosperava nos subúrbios de Paris, na França, reunindo centenas de pessoas em grandes bazares ao ar livre. No entanto, devido ao contexto da época, muitas roupas eram vendidas infestadas de pulgas. Assim, surgiu o termo “Mercado de Pulgas”, representando a essência peculiar desse comércio onde objetos usados encontravam novos donos, mesmo que inicialmente acompanhados por visitantes indesejados.

Impasse adiou inauguração do ‘Mercado de Pulgas’

Antiguidades são procuradas para fins decorativos (Foto: Arquivo Pessoal)

Em setembro, a Prefeitura de Campo Grande vetou parcialmente o projeto do ‘Mercado de Pulgas’ no município. Na época, o local para realização da feira, previsto em projeto de lei, foi desaprovado pelo Executivo.

Segundo a proposta aprovada pelo Legislativo, o mercado seria realizado na Avenida Afonso Pena, com previsão de interdição a partir do cruzamento com a Rua Cel. Cacildo Arantes até o cruzamento com a Avenida do Poeta.

No entanto, a Prefeitura entende que “o local estabelecido é demasiadamente extenso, medindo aproximadamente 1.800 metros, de modo que sua interdição obrigatória poderá trazer prejuízo ao livre trânsito de veículos na região”.

Além disso, disse que por se tratar de um centro de exposições e comercialização a varejo, o Mercado de Pulgas é considerado uma feira livre. Então, se enquadra na lei complementar nº 223/2014 e não pode ser realizada no raio de 200 metros de unidades de segurança, como e Delegacias.

1° Mercado de Pulgas
1° Mercado de Pulgas (Divulgação)

Saiba Mais