Localizada a 265 quilômetros de Campo Grande, Jateí comemora 60 anos da sua emancipação política no próximo dia 11 de novembro. Para as festividades, a prefeitura anunciou grandes atrações como o show em dueto das duplas de Fernando e Sorocaba e Maria Cecília e Rodolfo no dia do aniversário.

As comemorações serão iniciadas no dia 6 de novembro, com entrega de títulos de cidadania e comendas a personalidades que contribuíram para o crescimento do município. Já no dia 8 de novembro, acontece a Marcha para Jesus no distrito de Nova Esperança com preleção do ministério Um Caminho e pastores Jamil e Jariston Lima, começando às 19h.

Dia 9, na praça central, às 19h, a atividade evangélica será feita pelo ministério Filhos do Homem. Encerrando a Marcha, dia 10 de novembro, às 19h, a praça central recebe a cantora gospel Valesca Maysssa e o pastor Sidney Almeida, também às 19h.

No dia 10 de novembro, haverá às 8h um desfile temático, com a participação dos estudantes das Redes Municipal e Estadual de Ensino, bem como setores da comunidade jateiense. O desfile deve levar para a avenida a trajetória de Jateí ao longo de seis décadas de existência.

História

Seu povoamento originou-se em 1954 quando começaram a chegar os primeiros colonos. Entretanto, a efetiva colonização de Jateí só foi consumada quando os colonos cruzaram o Rio Dourados invadindo uma área não incorporada ao projeto, obrigando o governo a criar uma segunda zona da colônia em outra área previamente delimitada, elaborada pel Tacito Pace, onde foi implementado o novo povoado, em 1956. O município foi criado pela nº 1950, de 11.11.1963. Comemora-se dia 11 de novembro sua emancipação.

Uma parcela do município, área de colônia, desenvolveu o cultivo de culturas anuais de subsistência, comercializando o excedente. A outra grande parcela, ocupada por grandes fazendas, oriunda da Companhia Mate Laranjeira, se dedicava às explorações da pecuária em áreas extensivas, procurando o crescimento e a estabilidade econômica.

Eram terras originalmente ocupadas pelos índios Terena e Kaiowá e, posteriormente, ao final da Guerra do Paraguai (1864-1870), soldados e escravos permaneceram na região ocupando parte das terras, iniciando assim um processo de ocupação lento das terras pelo homem branco.

Origem do nome

A origem do nome de Jateí é uma variante do nome Jataí, que diz respeito a uma espécie de abelha silvestre cujo mel é muito apreciado. Diz a lenda que o povoado não tinha nome, era apenas mais uma vila pertencente a Dourados e esta comunidade era composta por agricultores de subsistência que viviam cortando árvores para seu sustento.

Num dado dia, alguns homens do povoado foram cortar lenha em uma mata que sabidamente tinha abelhas jataí, por lá retiraram a madeira que queriam e foram embora. Ao chegar em casa, o filho de um dos homens perguntou, “pai, cadê o machado do Senhor?” e ele espontaneamente respondeu, “esqueci lá no Jateí”. Assim, diz a lenda, deu-se o surgimento do nome de Jateí.