Em apenas uma semana, subiu de 4.531 para 5.550 o total de casos de dengue confirmados em Mato Grosso do Sul neste ano, um aumento de 1.019 casos em sete dias. Em meio ao avanço da doença, outros 13.235 casos aparecem como prováveis e estão em investigação. 

Conforme boletim epidemiológico divulgado pela (Secretaria Estadual de Saúde), a incidência da doença é de 197,6 confirmações a cada 100 mil moradores. No ranking nacional, Mato Grosso do Sul aparece na faixa vermelha e ocupa a décima posição entre os estados mais afetados pela doença.

Em 2023, cinco pessoas morreram de dengue, uma em janeiro, uma em fevereiro e três em março, evidenciando avanço da doença. As vítimas, três homens e duas mulheres, tinham idades entre 14 e 74 anos, e moravam em Campo Grande, , , Dourados e

Entre as cidades que acumulam mais casos confirmados da doença, Três Lagoas é a primeira, com 771. Na sequência aparecem Campo Grande com 408 casos, Bonito (373), (361) e Batayporã (336). 

Sintomas da doença

Dengue é uma doença causada por vírus e transmitida, principalmente, pela picada de um mosquito da família Aedes, em especial o Aedes aegypti. As causas da dengue podem estar relacionadas à água parada, com desenvolvimento do . Por isso, as ações de conscientização da Saúde e fiscalização nas residências.

Conforme a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), existem sintomas clássicos da dengue, como dores nas articulações e olhos, fraqueza, dores de cabeça e febre, contudo o diagnóstico deve ser feito durante atendimento médico.

Orientações

Caixas d’água, cisternas, tonéis, tambores e filtros necessitam ser tampados. Até mesmo reservatórios de eletrodomésticos devem passar por uma vigilância frequente, como é o caso de geladeiras e climatizadores.

Verifique se a sua geladeira tem um coletor de água do degelo automático (fica na parte de trás, perto do motor). Caso tenha, é preciso limpar com água e sabão a bandeja onde a água é acumulada, pelo menos uma vez por semana. No caso de climatizadores ou aparelhos de ar-condicionado, é necessário retirar o compartimento, esvaziá-lo e lavá-lo.

Ralos limpos e com aplicação de tela evitam o surgimento de criadouros. Além disso, é importante saber que a água com larvas não deve ser derramada em ralos ou na pia – lugares que podem gerar acúmulo –, mas sim na terra ou no cimento quente.

Um modo de prevenir criadouros é descartar objetos no lugar correto e levar o lixo para fora de casa somente no dia da coleta, por exemplo. Recipientes e sacos plásticos, garrafas, latas, sucatas, ferro-velho, entulhos em construção, tudo isso pode ser foco de Aedes.

Furar o fundo das latas e, se possível, amassar, tampar latas de tinta e deixá-las em local adequado, enviar sacos plásticos para reciclagem, amassar copos descartáveis e manter garrafas com tampas ou viradas para baixo são algumas medidas que podem ajudar a eliminar o acúmulo de água.

Saiba Mais