Com promessa de ser entregue em 12 meses, a obra de da antiga rodoviária tem apenas 3% executada. Até o momento, foram pagos R$ 589 mil para a NXS Engenharia, responsável pela reforma e que deve receber R$ 16,5 milhões até o fim das .

De acordo com a Sisep (Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura), na primeira etapa de obras, foi feito trabalho de demolição no local, além de estrutura metálica da cobertura do telhado e da cobertura em policarbonato, recorte da laje na rua Vasconcelos Fernandes e retirada do asfalto antigo.

Ainda segundo a secretaria, o contingente de trabalhadores será reforçado para agilizar o andamento da obra, que teve início em 15 de junho de 2022. O local, atualmente abandonado, dará lugar a espaços de atendimento ao público, estacionamento e recebimento de eventos.

Região enfrenta problema crítico e obra é esperança

Há anos a região do entorno da rodoviária antiga foi tomada por usuários de drogas, que se espalham pelas ruas em cenas deploráveis. Há consumo de droga em plena luz do dia e sem o mínimo pudor.

A situação incomoda não só quem passa pelo local, devido à tragédia humana, mas principalmente clientes e empresários que convivem diariamente com a situação. Carlos Sanches é proprietário de uma papelaria há mais de 20 anos na rua Dom Aquino, e classifica como “fundamental” a reforma da rodoviária.

antiga rodoviária
Usuários próximo à antiga rodoviária (Foto: Nathália Alcântara/Midiamax)

Ele conta que o problema perdura há anos sem solução. “Além dos clientes da papelaria, temos um espaço cultural aqui e recebemos visitantes aos sábados. É sempre uma situação complicada porque os usuários vêm aqui, abordam as pessoas, pedem dinheiro”, diz.

Carlos afirma que o prédio é próprio e, por isso, não cogita mudar da região, mas aguarda esperançosamente melhorias. Assim como ele, outra empresária da região, que prefere não se identificar, afirma que aguarda a reforma.

Ela está no prédio, também na Dom Aquino, há dois anos e, apesar dos problemas com usuários de drogas, tem esperanças de que a região será revitalizada com a reforma da antiga rodoviária.

“Certeza que vai melhorar, estou acreditando no movimento que hoje é complicado por que as pessoas evitam a região, mas as obras vão melhorar sim, eu acredito”, afirma a empresária.

Revitalização da antiga rodoviária

Da área de 30 mil metros quadrados, 5,1 mil pertencem ao município e serão inteiramente reformados. Apesar do restante da área interna não ser objeto do contrato, já que pertence a proprietários particulares, toda a área externa da estrutura será reconstruída e reformada. Caberá aos donos de salas as reformas secundárias que darão cara nova em todo o interior do prédio.

Na Rua Joaquim Nabuco, entre as antigas plataformas de embarque e desembarque dos ônibus do transporte municipal, haverá novo espaço para a Guarda Civil Metropolitana e a (Fundação Social do Trabalho).

A outra área pública que margeia a Rua Vasconcelos Fernandes, antigo terminal de ônibus do transporte coletivo, será transformada em área de estacionamento no horário comercial. O piso será nivelado para se tornar um espaço para eventos.