Pais de uma aluna de escola municipal em ficaram revoltados ao assistirem uma cena que consideraram absurda dentro de um ambiente educacional. A indignação fez com que eles recorressem à imprensa para denunciar a situação.

Realizada neste sábado (2), a festa “junina” do colégio, nas dependências do mesmo, teve como trilha sonora músicas consideradas inapropriadas para menores de e para uma festividade típica “caipira”. Já prevendo que isso aconteceria, os responsáveis por uma das estudantes a proibiram de participar do evento.

Ao ver os stories de amigos da filha, eles se revoltaram com o que aconteceu. “Peguei esses vídeos de um Instagram de uma que estuda no mesmo colégio que a minha filha. Teve essa festa ‘junina' ontem durante o dia lá na escola”, relatou o pai ao Jornal Midiamax, mostrando as gravações.

“Não sei se notou essas músicas com palavrões pesados… Por serem crianças e pelo fato de estarem em uma escola municipal, amanhã vou procurar alguma forma de denunciar esse acontecido”, afirmou o homem, que prefere não se identificar.

Ele disse que a filha dançaria na festa “junina”, mas previu tais comportamentos e impediu que ela participasse. “É pornografia, olha essas músicas sem sentido. Isso numa festa “junina” e na escola?”, reclamou ele.

“Bate, bate na x*reca que chega a me machucar”

Conforme o pai, o evento aconteceu das 10 horas da manhã até as 4 da tarde deste sábado (2). Nos stories registrados, as crianças do ensino fundamental aparecem cantando e dançando músicas que descrevem sexo explícito e masturbação, como “bate, bate na x*reca que chega a me machucar” e “bater p*nhet*”.

Os pais denunciantes, no entanto, não sabem afirmar se havia alguém da direção, coordenação, ou do corpo de professores permitindo e presenciando a cena.

Confira no vídeo abaixo:

Em nota enviada ao Jornal Midiamax, a Secretaria Municipal de Educação () esclarece que “todas as unidades escolares são orientadas para não usar músicas que tenham palavrões ou mesmo danças inapropriadas”.

A Semed confirma que a escola realizou a festa Julina no sábado (2), das 9h às 15h, “com a presença da comunidade escolar e da comunidade como um todo”.

“Na festa Julina, há anos, tradicionalmente acontece a “discoteca” dos alunos, com monitor e professores acompanhando, inclusive pais. Sempre que há excessos é chamada a atenção. A direção foi informada e irá apurar a situação”, finaliza a Secretaria Municipal de Educação.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. O anonimato é garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok