Cerca de 878 mil transportadores autônomos têm cadastro na ANTT (Agência Nacional de Transportes Rodoviários de Cargas) e podem receber, em tese, o Auxílio Caminhoneiro, benefício concedido pelo governo federal de R$ 1 mil para os caminhoneiros para compensar a alta do preço do diesel. Porém, mesmo com cadastro, muitos caminhoneiros não receberam o benefício nesta terça (9) pago pela Caixa.

O profissional que está com a inscrição regular dentro dos prazos estabelecidos pelo governo, mas não registrou operação de transporte de cargas neste ano, precisará fazer uma Autodeclaração do Termo de Registro do TAC.

Segundo a empresa de tecnologia responsável pelo processamento de dados do auxílio, a Dataprev, além da necessidade de estar com o RNTR-C (Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas) vigente em 31 de maio, o motorista precisaria estar com o cadastro considerado ativo em 27 de julho e ter registro de operação de transporte rodoviário de carga até a mesma data. Outros critérios que impedem o profissional de receber o auxílio são estar com CPF ou CNH irregulares.

A maioria está com registro inativo ou pendente no órgão regulador, segundo técnicos do Ministério do Trabalho e Previdência. Eles não serão contemplados nessa primeira etapa de pagamento. Ou seja, apenas 21% do total de cadastrados foram habilitados para receber as duas parcelas.

Prazo para fazer o cadastro do Auxílio Caminhoneiro

O prazo para preencher o documento começa no próximo dia 15 e termina em 29 de agosto. Quem se cadastrar poderá receber o chamado Benefício Emergencial aos Transportadores Autônomos de Carga (BEm Caminhoneiro) em 6 de setembro.