Cotidiano

‘Surto’ de casos respiratórios ocorre após pior adesão em anos de vacinação contra gripe em Campo Grande

Apenas um grupo prioritário atingiu a meta de 90% vacinados; até mesmo profissionais da saúde não alcançaram a meta

Gabriel Neves Publicado em 05/01/2022, às 11h56

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - (Foto: Arquivo/Midiamax)

O recente número de pacientes com sintomas gripais em Campo Grande, que vêm gerando um aumento significativo na realização de testes de Covid-19 pode estar ligado à baixa adesão da campanha de vacinação contra a Influenza realizada em 2021.

Dados da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) indicam uma adesão pouco significativa da população em geral em relação à vacinação contra a influenza. Segundo a pasta, em 2021, apenas o público de crianças de seis meses a seis anos atingiu a meta de 90% estipulada pelo Ministério da Saúde.

Conforme a secretaria, era possível verificar outros três grupos que também ultrapassaram esta margem, sendo eles idosos, trabalhadores da saúde e da educação, e, no ano de 2021 nenhum destes públicos atingiu a meta de 90%. Ao todo, foram aplicadas 313.514 doses de vacina contra a influenza, sendo 197.293 somente no público prioritário.

A secretaria não relacionou a baixa adesão da campanha com o recente aumento nos pacientes com sintomas gripais. Ainda assim, a vacina contra a influenza é uma das principais responsáveis pela diminuição da procura dos testes de Covid-19, pois evita a contaminação de cepas da Influenza anteriores a H3N2.

A pasta informou que a vacina contra Influenza que protege contra a cepa do vírus H3N2 estará disponível entre março e abril deste ano, após atualização. Neste momento, a vacina em estoque protege contra a variante do vírus que circulava em 2021.

Ainda posso me vacinar?

Quem desejar receber o imunizante contra a Influenza pode procurar uma das 72 unidades de saúde de Campo Grande durante o horário de funcionamento das salas de vacinas — normalmente entre 7h30 e 11h e das 13h às 16h45.

Qualquer pessoa com mais de seis meses de idade pode receber a vacina. Pessoas que apresentam sintomas respiratórios devem aguardar o fim destes sintomas para tomar a dose. Agora há, aproximadamente, 28 mil doses do imunizante em estoque na Capital.

Cuidados

Os cuidados que devem ser tomados para evitar a contaminação e disseminação da H3N2 são os mesmos utilizados para prevenir a Covid-19. A Sesau explica que é necessário utilizar máscaras, evitar aglomerações, ter etiqueta respiratória e higienizar as mãos.

Confira uma lista de cuidados:

  • Higienizar as mãos com frequência;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Evitar aperto de mãos, abraços e beijo social;
  • Reduzir contatos sociais desnecessários e evitar, dentro do possível,
  • Evitar ambientes com aglomeração;
  • Evitar visitas a hospitais;
  • Ventilar os ambientes.
Jornal Midiamax