Subiu para 14 o total de rodovias estaduais interditadas em Mato Grosso do Sul. De acordo com a PMR (Polícia Militar Rodoviária), os manifestantes estão sendo orientados sobre descumprimento de ordem da Justiça, que impede os bloqueios. 

Até o momento, não foram registrados episódios de confronto e a PMR espera que as estradas sejam liberadas nas próximas horas. “A tendência é que, até o final do dia, todas as rodovias estaduais estejam liberadas”, informou a assessoria de comunicação. 

Seguem bloqueadas a MS-386, entre Ponta Porã e Amambai, MS-156, entre Amambai e Caarapó, MS-306, em Chapadão do Sul e Cassilândia, no quilômetro 70 da MS-080, entre Corguinho e Rochedo, no quilômetro 16 da MS-164, em Maracaju, MS-178, em Bonito, MS-377, entre Água Clara e Inocência, MS-112, entre Três Lagoas e Inocência, MS-080, em Rio Negro, MS-379, entre Dourados e Laguna Carapã, MS-163, em Maracaju, MS-384, em Antônio João e MS-156, em Itaporã.

Protestos e bloqueios

No domingo (30), após o anúncio da vitória de Luiz Inácio Lula da Silva para a Presidência da República, no segundo turno da eleição, grupos de caminhoneiros iniciaram bloqueios em diversos pontos do país.

Em Mato Grosso do Sul, os bloqueios começaram nas rodovias federais, que chegaram a ter dezenas de trechos ocupados. Depois dos diferentes atos pelo Brasil, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, determinou o total desbloqueio das estradas federais fechadas pelos manifestantes. 

Pela decisão, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e polícias militares estaduais deverão cumprir a decisão e garantir total trânsito de veículos.

Decisão da Justiça Federal da 3ª Região também determinou o desbloqueio das vias federais no Estado.

Após a decisão, parte do grupo que protestava nas estradas federais de Mato Grosso do Sul migrou para as rodovias estaduais.