Sem resposta se terão ou não uma reunião com a Prefeitura de Campo Grande ainda nesta manhã de sexta-feira (2), os professores da rede municipal realizam passeata pelo centro de Campo Grande até a sede do poder executivo municipal. 

A ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública) encaminhou um ofício pedindo uma reunião hoje com a Prefeitura no primeiro dia de greve da categoria. 

A decisão de cruzar os braços foi tomada em assembleia geral no dia 29 de novembro, após os professores recusarem a proposta da Prefeitura sobre o reajuste de salário do piso de 20 horas abaixo dos 10,39%. 

O órgão alega falta de recursos para conceder o reajuste integral e fez a proposta de 4,98% e auxílio-alimentação de R$ 400 para 40h, a partir de dezembro. 

A Lei 6.796/2022 prevê o aumento da remuneração em 64% de forma escalonada até 2024, sendo 10,06% retroativo a fevereiro, 10,39% em novembro de 2022; 11,67% em maio/2023; 11,67% em outubro/2023; 11,67% em maio/2024; e 11,67% em outubro/2024.

O grupo de professores realiza passeata no centro da Capital pedindo apoio da população e o cumprimento da lei, com o uso de bandeiras, um carro de som e grito de frases como “Piso Zero Nunca Mais”.

“Nós estamos aqui pedindo apoio da população, dos comerciantes, dos moradores, dos pais e mães desta cidade. Apoie a educação”, bradou o presidente da ACP, Lucilio Nobre, durante a manifestação.

Calendário de Ações

De acordo com a ACP, a greve dos professores de Campo Grande está marcada para acontecer entre 2 e 9 de dezembro, mas há possibilidade de ser estendida caso seja aprovada a prorrogação em assembleia geral no dia 9. 

Na assembleia, foi aprovado um calendário de ações. Confira abaixo:

2 de dezembro: concentração na ACP às 7h30 para uma passeata e panfletagem no centro e pátio da prefeitura.

5 de dezembro: panfletagem no centro e encerramento no pátio da Prefeitura.

6 de dezembro: ato na Câmara.

7 de dezembro: acampamento em frente à prefeitura.

8 de dezembro: ação em rotatórias.

9 de dezembro: nova assembleia na ACP para avaliar o andamento da greve.